Notícias

Voltar

Mostras de arte inauguram durante o final de semana em SP

O final de semana chegou e muitos espaços culturais de São Paulo se preparam para receber o público em suas mostras de artes visuais. Além das aberturas de exposições em galerias e instituições, museus também oferecem programação especial e cursos.

É o caso da Pinacoteca, que a partir do sábado (23) inicia o curso de história da arte “Di Cavalcanti e a arte moderna no Brasil”. Serão seis encontros, em paralelo à exposição retrospectiva “No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos”, que situarão o artista no quadro do movimento modernista brasileiro. A Fundação Ema Klabin promove a visita temática “Casa: que espetáculo é esse?”, que propõe refletir sobre como os visitantes percebem o espaço expositivo de uma das casas-museu mais bonitas de São Paulo, e como esse espaço se afasta da realidade cotidiana.

Outro centro cultural que oferece ativiadades gratuitas durante o final de semana é o Espaço Cultural Porto Seguro, com oficinas de Lightpainting e visita com educadores que realizam uma introdução a técnicas gráficas utilizadas em cartazes expostos na mostra "Manifesto Gráfico".

Confira a seleção do InfoArtSP para um final de semana com muita arte e cultura na capital paulista:

ABERTURAS

Espuma
Artista: Kohei Nawa
Curadoria: Marcello Dantas
De 23/9 a 12/11
Japan House São Paulo

Kohei Nawa, um dos principais nomes da nova geração de artistas japoneses, se destaca por uma surpreendente atuação multidisciplinar em artes, arquitetura e moda com trabalhos em distintas formas passeando entre esferas, modelagem 3D, artesanato tradicional, técnicas industriais, entre outras. Em "Espuma", o artista apresenta uma instalação mutante, localizada no térreo ddo centro cultural. A escultura transitória ficará em um ambiente azul, com iluminação programada para revelar sua constante transformação. Nesta mutação, uma espécie de montanha de espuma ou nuvens se modificarão a cada segundo. A obsessão com a experimentação de materiais e produtos químicos tem chamado a atenção pelos diferentes e frequentes usos em trabalhos que realiza. Complementando a programação, Nawa realiza palestra aberta e gratuita no dia 22 de setembro. Saiba mais.

Espuma.

Literatura
Artista: Rafael Carneiro
De 23/9 a 28/10
Luciana Brito Galeria

Explorando diferentes suportes, Rafael Carneiro apresenta, além de cinco telas inéditas, um conjunto de esculturas e uma série de desenhos, sendo o mais antigo datado de 2003. As telas do paulistano são trabalhos que apresentam grande rigor técnico e que servem da pintura como meio e fim para a representação. Para a elaboração das cinco obras, Rafael Carneiro mesclou imagens de seu acervo pessoal com alguns de seus próprios desenhos, construindo composições originais transpostas em grandes telas. Saiba mais.

Rafael Carneiro - Sem título, 2017. Óleo sobre tela, 138 x 185 cm.

Soma
Artista: Mariana Palma
De 23/9 a 4/11
Casa Triângulo

Entre pinturas, fotografias e aquarelas ineditas, a exposição aprofunda temas e referências caros à artista Mariana Palma, sugerindo ao mesmo tempo novos desdobramentos. Mariana inicia suas obras mergulhando a tela em água coberta por pigmentos, em um processo similar à marmorização de papel. Com isso, produz padrões intrincados de cores, linhas e pontos, sobre os quais pinta laboriosamente partes de tecidos estampados, elementos arquitetônicos e plantas, criando obras com cores intensas e inúmeros estímulos visuais. Saiba mais.

Mariana Palma, Sem título, 2017. Óleo sobre tela, 170 x 170 cm.

Portfólio #4
Artistas: Ana Calzavara, Bartira Velludo, Felipe Guimarães e Ida Feldman
Curadoria: Eduardo Besen e Duílio Ferronato
De 23/9 a 10/11
Galeria Gravura Brasileira

A coletiva dá continuidade ao projeto do espaço de apresentar ao público o seu portfólio de artistas representados. Os quatro artistas que compõe a mostra possuem obras bem distintas. Ana Calzavara tem uma obra focada na gravura e pintura e, para essa mostra, uniu as duas técnicas em obras únicas onde a xilogravura é a base para intervenções da pintura a óleo. Bartira Velludo traz obras abstratas inspiradas em artistas modernistas que funcionam como quadros. Felipe Guimarães trabalha com telas e com uma pintura que bebe na fonte do expressionismo abstrato, usando somente tinta spray, o que leva um toque urbano para as telas. Ida Feldman faz uso de suportes como vídeo e redes sociais, realizando colagens digitais, e traz para a mostra uma série de azulejos com frases repletas de filosofia e humor. Saiba mais.

Ida Feldman, Bichos Bichas, tinta sobre azulejo, 15x15cm.

EM CARTAZ

Agora somos todxs negrxs?
Artista: Vários
Curadoria: Daniel Lima
Até 16/12
Galpão VB

"Agora somos todxs negrxs?" é a primeira exposição a reunir a jovem produção negra brasileira a artistas consagrados. A mostra conta com 15 artistas nascidos, em sua maioria, nas três últimas décadas do século 20. Trabalhando com frequência na interseção entre as questões raciais e de gênero, elas e eles mostram mais de 20 obras que refletem o amadurecimento da discussão sobre as identidades e negritudes no Brasil. A inspiração para o título da exposição é o Artigo 14 da Constituição do Haiti, de 1805, que reestruturou as leis do país a partir da única revolta escrava que tomou o poder na América. Nas palavras do curador Daniel Lima, a retomada do enunciado haitiano “aponta para uma nova situação política, na qual lutamos, em cada prática artística individual e coletiva, pela expressão de uma voz historicamente silenciada”. A mostra pretende colocar em perspectiva o papel de negras e negros na sociedade brasileira, reelaborando símbolos da história nacional. Saiba mais.

O samba do crioulo doido | Luiz de Abreu.

Renato Russo
Curadoria: André Sturm
A partir de 6/9
MIS-SP

O MIS inaugura uma das exposições mais aguardadas do ano. A mostra intitulada "Renato Russo" presta homenagem a um dos maiores ícones da música brasileira e é a quarta exposição idealizada e concebida totalmente pelo museu. Giuliano Manfredini, único filho do artista, concedeu ao MIS total acesso ao apartamento de Renato Russo confiando à equipe do museu sua catalogação, conservação e adaptação para a exposição. A exposição, que parte exclusivamente do acervo de Renato Russo, traz objetos pessoais, peças de vestuário, fotografias, discos, livros, manuscritos, instrumentos musicais, documentos escolares, desenhos, cartas de fãs, além de prêmios, fanzines, folhetos e impressos variados que irão percorrer toda a sua trajetória. Saiba mais.

Renato Russo - Crédito: Marcos Prado Azul. Acervo Renato Russo.

Toulouse-Lautrec em vermelho
Artista: Henri de Toulouse-Lautrec
Curadoria: Adriano Pedrosa
Até 1/10
MASP

A maior exposição dedicada à obra do francês Henri de Toulouse-Lautrec (1864-1901) já realizada no Brasil aborda o tema da sexualidade, apresentando 75 obras, entre pinturas, cartazes e gravuras, que estão entre as mais emblemáticas do artista. Das onze obras de Toulouse-Lautrec da coleção do MASP, a maior e mais importante em um museu da América Latina, 9 estarão expostas. Toulouse-Lautrec foi um dos artistas centrais da Paris do final do século 19, ao capturar a efervescência noturna da capital que despertava para a modernidade, quando suas ruas foram iluminadas a gás e as mais diversas figuras passaram a se encontrar nos espaços públicos, entre burgueses, boêmios, prostitutas, dançarinos e artistas. Saiba mais.

Henri de Toulouse-Lautrec, La Grosse Maria [A grande Maria] [The Big Maria], circa 1886. Óleo sobre tela [Oil on canvas], 79 x 64 cm. Von der Heydt-Museum Wuppertal, Germany.

Narrativas do Invisível - Mostra Rumos 2015-2016
Artista: Vários
Até 5/11
Itaú Cultural

A mostra reúne um recorte da produção contemplada na última edição do edital público de fomento à arte e à cultura no país (o Rumos Itaú Cultural), apresentando 24 trabalhos, entre os 117 projetos selecionados pelo programa, que se debruçam sobre questões inquietantes do mundo contemporâneo. No conjunto, os trabalhos refletem a atualidade brasileira em questões como invisibilidade, deslocamento e território, e desvelam lugares, grupos sociais ou questões distantes dos olhos excludentes da sociedade brasileira. Saiba mais.

Retrato de Cola: Violência Grátis! Murilo Henrique Jacintho (SP). Imagens das intervenções realizadas pelo artista durante residência na Espanha. Fotos: Murilo Jacintho.

The Clock
Artista: Christian Marclay
Até 19/11
IMS Paulista

"The Clock" é uma videoinstalação de 24 horas de duração, composta por milhares de cenas de cinema e televisão que fazem referência ao horário do dia. Em todos os casos em que a hora é mencionada ou surge na tela, seja em objetos de pulso, de bolso, em despertadores, em torres de igrejas ou até mesmo em relógios cuco, a cena está sincronizada com a hora local do espaço em que a obra está sendo exibida, combinando o tempo cinematográfico e o real. A videoinstalação é também uma oportunidade para digressões em torno de cenas de Pulp Fiction ou Taxi Driver, filmes de James Bond ou Indiana Jones, produções de Akira Kurosawa ou de Woody Allen. Durante o período de exibição no IMS a obra terá nove apresentações de 24 horas, sempre de sábado para domingo, permitindo ao público experimentar "The Clock" em sua completude. Saiba mais.

Christian Marclay- The Clock.

Confira outras exposições em cartaz em São Paulo em nossa agenda. Perdeu as exposições que inauguraram essa semana? Clique aqui e confira a última seleção do InfoArtSP.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos