Notícias

Voltar

Luciana Brito Galeria inaugura espaço em Nova York

A Luciana Brito Galeria e a empresa de design Espasso se juntaram para criar um projeto inédito na 186 Franklin Street, em Nova York. A "Luciana Brito – NY Project" apresentará uma programação de três exposições que contarão com curadorias exclusivas (e pretendem proporcionar ao público internacional uma incursão no cenário da arte brasileira histórica e contemporânea), enquanto a Espasso lançará a Espasso Annex, uma galeria dedicada ao mobiliário brasileiro de edição vintage e limitada. No campo das galerias de arte, a expansão da Luciana Brito segue os passos das galerias brasileiras Nara Roesler e Mendes Wood DM, que também abriram postos avançados em Manhattan nos últimos dois anos - uma possível saída para a crise no país aliada à crescente atenção aos artistas brasileiros.

Luciana Brito - NY Project - Espasso Annex (©Eliseu Cavalcanti)

"Ruptura", a primeira exposição do projeto, foi inaugurada na última quarta-feira (6/9) e leva ao público um panorama do histórico movimento artístico Grupo Ruptura, apresentando mais de 50 obras entre desenhos, esculturas, objetos, fotografias e projetos de seus artistas expoentes. A coletiva conta com obras de Geraldo de Barros, Lothar Charoux, Waldemar Cordeiro, Kazmer Féjer, Hermelindo Fiaminghi, Leopoldo Haar, Judith Lauand, Luiz Sacilotto e Anatol Wladyslaw - todos artistas brasileiros modernistas relativamente ainda pouco conhecidos na América do Norte. O coletivo de artistas, em meio a polarização que dividia artistas e pensadores da arte entre figuração e abstração, no início dos anos 1950, em São Paulo, reuniu-se a favor da segunda, organizando em 1952 uma emblemática exposição no Museu de Arte Moderna de São Paulo, acompanhada pela publicação de seu manifesto, ambos sob o mesmo título: Ruptura.

Como expresso em seu manifesto, o grupo de artistas toma para si a missão de promover a “renovação dos valores essenciais da arte visual (espaço-tempo, movimento e matéria)”, elaborando uma produção artística baseada nas relações restritas de cores puras e ritmos com base em alinhamentos, polaridades, progressões e deslocamentos que futuramente receberia o nome de arte concreta brasileira.

Luciana Brito - NY Project - Espasso Annex (©Eliseu Cavalcanti)

Embora a galerista Luciana Brito reconheça que a crise política e econômica do Brasil tem impulsionado as galerias a buscar novos negócios, ela também aponta para a recente onda de atenção que os artistas brasileiros receberam na América do Norte como um importante fator para a execução do projeto. “Nossa primeira exposição é uma apresentação histórica de artistas com os quais trabalhamos, como Waldemar Cordeiro, Geraldo de Barros, Thomaz Farkas e Gaspar Gasparian, que pensamos ter sentido neste momento, porque houve todas essas exposições de artistas brasileiros em Nova York “, comenta a galerista. Entre elas, estão mostras de Lygia Clark no MoMA em 2014 e as exposições de Lygia Pape e Hélio Oiticica no Met Breuer e Whitney, respectivamente, este ano.

Depois de "Ruptura", Luciana Brito planeja apresentar uma coletiva com artistas mais novos, como Héctor Zamora, Caio Reisewitz e Tiago Tebet. “A ideia é mostrar artistas que não estão representados em Nova York”. O projeto ocupa o espaço em Tribeca ao longo de um ano.

Geraldo de Barros - Movimento em Torno de uma Oval e um Círculo. (Divulgação/Luciana Brito Galeria)

Serviço
Exposição coletiva "Ruptura".
Visitação: Entre 07/09/2017 e 06/11/2017.
Local: 186, Franklin Street, Tribeca, NY- EUA.
Contato: ny@lucianabritogaleria.com.br

Com informações do The Art Newspaper.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos