Notícias

Voltar

Conheça 6 exposições de fotografia para visitar!

A palavra Fotografia vem do grego phosgraphein que em uma tradução literal significa  “registrar a luz” ou “desenhar na luz”. Essa linguagem veio para ficar no mundo das artes visuais e está em alta nas exposições da cidade. O InfoArt separou uma seleção de mostras fotográficas para você visitar. Confira a seguir:

1. " Marc Ferrez: território e imagem" no Instituto Moreira Salles Paulista


Marc Ferrez, Negra da Bahia e índia Botocudo, Bahia, c. 1876. Acervo Instituto Moreira Salles.

o IMS Paulista apresenta a exposição "Marc Ferrez: território e imagem", que conta com curadoria de Sergio Burgi, coordenador da área de Fotografia do IMS. A mostra exibe um panorama da extensa produção de Marc Ferrez (1843-1923), um dos principais fotógrafos brasileiros do século XIX, cuja obra integra o acervo do instituto. Estarão reunidos mais de 300 itens na mostra retrospectiva, entre fotografias, álbuns originais, câmeras, equipamentos e documentos. Leia mais.

2. "O Estranho e o Raro", de Mario Cravo Neto na Galeria Millan

Galeria Millan apresenta “O Estranho e o Raro” de Mario Cravo Neto. A mostra fica em cartaz de 13 de junho a 13 de julho e reúne 52 trabalhos do artista em sua faceta não tão conhecida: a de escultor e desenhista. Desde cedo Cravo Neto se interessou pela fotografia e teve como um de seus mestres seu próprio pai, o artista Mario Cravo Junior. Neto é considerado um dos pioneiros da fotografia contemporânea brasileira a receber reconhecimento internacional a partir dos anos 1970, realizando mostras ao redor do mundo. Leia mais.

3.“Gold – Mina de Ouro Serra Pelada” de Sebastião Salgado no Sesc Avenida Paulista


Fotografia da exposição. Créditos: © Sebastiao Salgado

Sesc Avenida Paulista apresenta “Gold – Mina de Ouro Serra Pelada” de Sebastião Salgado. A mostra com curadoria de Lélia Wanick Salgado reúne mais de 50 fotos que revelam situações da Mina de Ouro da Serra Pelada, local de onde foram extraídas toneladas de ouro através da mão de obra garimpeira. Salgado, fotógrafo reconhecido e premiado internacionalmente, compartilha com o público através de seu olhar a realidade das jazidas de ouro, as condições insalubres de trabalho dos mineiros, e o auge do período de exploração - conhecido como “febre do ouro”. Leia mais.

4. "Maldicidade", de Miguel Rio Branco na Galeria Luisa Strina

Galeria Luisa Strina apresenta “Maldicidade”, mostra individual de Miguel Rio Branco. A exposição permanece em cartaz entre os dias 5 de junho e 27 de julho e reúne a série homônima que está em constante construção. A coletânea existia apenas enquanto publicação de um fotolivro, lançado em 2014 pela editora CosacNaify, e como trabalhos únicos ou polípticos de fotografias feitas ao longo dos anos da carreira internacional do artista que transitou por muitos países. A biografia do artista é extensa e passa por episódios marcantes, por ser filho de um diplomata sua vida nunca teve fronteiras geográficas. Rio Branco começou na pintura e ficou na técnica até 1960, quando passou a ser diretor de fotografia em documentários brasileiros, em seguida tornou-se membro da ilustre Magnum Photos nos anos 1980. Leia mais.

5. "Letizia Battaglia: Paleremo" e "Sergio Larrain: um retângulo na mão", no Instituto Moreira Salles Paulista


A festa acabou na praia de Arenella, Palermo, 1986. Foto de Letizia Battaglia

O Instituto Moreira Salles (IMS) apresenta "Letizia Battaglia: Palermo" e "Sergio Larrain: um retângulo na mão". As exposições ficam em cartaz de 27 de abril a 22 de setembro .A mostra de Letizia Battaglia está localizada na galeria 2 do Instituto reúne cerca de 90 imagens, publicações e filmes e retoma a trajetória da fotógrafa no jornal L´Ora. Sua carreira no jornal pelo foi marcada por registros icônicos que vão desde o assassinato de políticos até a prisão de mafiosos. Sergio Larrain: um retângulo na mão será exibida na galeria 3, e reúne mais de 140 fotografias, um vídeo, publicações, entre outros itens. A exposição retrata as várias fases da produção de Larrain: o começo, em Santiago, sua atuação como correspondente pela Magnum nos anos 1960, o olhar amadurecido de volta à terra natal, até sua precoce retirada, em 1978, quando opta por uma vida de isolamento. Leia mais.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos