Notícias

Voltar

Arte "plástica": o "Museu Indesejado" de Eduardo Srur provoca quem passa pela região da Paulista

O artista, conhecido por suas intervenções urbanas e obras com temática ambiental, expõe reproduções de obras clássicas, como "Noite Estrelado", de Van Gogh, feitas com sacolas plásticas recolhidas de rios e cooperativas. A ação busca provocar a população sobre qual legado queremos deixar para o planeta. 

Obras criadas por Eduardo Srur permanecem expostas até 18 de agosto de 2019. Foto: Divulgação. 

Entre os dias 12 e 18 de agosto, quem passar pela esquina da Alameda Rio Claro com a Avenida Paulista verá um conjunto de obras clássicas expostas a céu aberto, todas feitas pelo artista Eduardo Srur com sacolas plásticas recolhidas em rios e cooperativas. Com o mote “Qual legado vamos deixar para o mundo”, a iniciativa recriou obras de mais de 100 anos - que já estão sob domínio público -, como a MonalisaO Grito, para mostrar que o plástico na natureza dura tanto quanto obras-primas da história da Arte e como esse material impacta negativamente o meio-ambiente.

A exposição que começou no Dia Nacional da Arte, dia 12 de agosto,  reúne reproduções de obras como A Grande Onda de Kanagawa, do Hokusai, Monalisa, de Leonardo da Vinci, Chaleira e Frutas, de Paul Cezzanne, O Grito, de Edvard Munch, A Noite Estrelada, de Van Gogh e Nenúfares, de Monet; tudo para conscientizar e envolver a população da maior cidade do país, além de seus visitantes, na luta contra o uso e descarte incorretos de plástico - que, anualmente,  tem mais de 8 milhões de toneladas de lixo plástico despejadas no mar em todo mundo, impactando todo o ecossistema marinho.

A ação busca provocar a população sobre nosso legado para o planeta e alertar para o uso indiscriminado de plástico. Foto: divulgação. 

“São Paulo é a cidade mais populosa da América do Sul e recebe milhares de visitantes diariamente e sabemos do potencial que isso representa para o combate ao plástico nos oceanos. E essa parceria com o Eduardo Srur é o primeiro passo para que essas pessoas se envolvam ainda mais com a causa, já que os paulistanos também têm um papel fundamental de agente de mudança para ajudar a proteger nossos paraísos”, afirma Bruna Buás, diretora de marketing da cerveja Corona, que, junto com a ONG Parley for the Oceans, convidou o artista para a ação na região da Paulista.

“Se estas obras estão a mais de 100 anos na história da civilização, o plástico que você joga na natureza também estará. O oceano é a mãe de todos os rios, portanto o plástico que jogamos nas ruas de São Paulo irá para os nossos poluídos rios metropolitanos que deságuam no mar” diz Srur.

Exposição acontece ao ar livre, nas esquinas da Alameda Rio Claro com a Av. Paulista. Foto: Divulgação.

Ao final da exposição, as obras serão leiloadas e toda a verba arrecada será direcionada para o Pimp My Carroça, um movimento que atua desde 2012 para tirar os catadores de materiais recicláveis da invisibilidade - e aumentar sua renda - por meio da arte, sensibilização, tecnologia e participação coletiva. O leilão será feito online, no site da Blombô Leilões, e começará já no dia 12/08, sendo finalizado na segunda-feira, 19/08.

Sobre o artista
Eduardo Srur nasceu em 1974, em São Paulo, onde vive e trabalha. O artista trabalha com a linguagem de pintura desde os anos 90 e se destacou nas intervenções urbanas. Suas obras se utilizam do espaço público para chamar a atenção para questões ambientais e para o cotidiano nas metrópoles, sempre com o objetivo de ampliar a presença da arte na sociedade e aproximá-la da vida das pessoas. A cidade é o seu laboratório para a pratica de experiências artísticas.

Srur realizou diversas intervenções urbanas pela cidade de São Paulo e participou de exposições em muitos países, entre eles França, Suíça, Argentina, Espanha, Inglaterra e Cuba. Para difundir o conhecimento, realiza palestras em escolas e importantes eventos como TEDx, Crio e Pixel Show. É também o idealizador e proprietário da Attack Intervenções Urbanas, uma empresa especializada em planejamento e gestão de projetos especiais no espaço urbano.

As obras serão leiloadas ao final da exposição e o dinheiro destinado ao Pimp My Carroça e o aplicativo Cataki, que aproxima catadores de materiais recicláveis de pessoas que querem destinar corretamente o lixo que produzem. Foto: divulgação.

Serviço
"Museu Indesejado", de Eduardo Srur.
Data: de 12 a 18 de agosto de 2019.
Local: Esquina da Alameda Rio Claro com a Av. Paulista.
Exposição ao ar livre.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos