Notícias

Voltar

Aberturas e atividades culturais agitam final de semana paulistano

Artes Visuais: Confira a seleção do InfoArt com as melhores exposições de artes visuais que acontecem em São Paulo este final de semana

O circuito de artes plásticas em São Paulo está agitado nos próximos dias! Além das aberturas e da programação especial nas galerias participantes da "2ª edição do Art Weekend São Paulo" - evento promovido pela ABACT (Associação Brasileira de Arte Contemporânea) que ocorre nos dias 11 e 12 de novembro e reúne 54 galerias de arte de diversas cidades do país -, a cidade recebe feiras e diversos debates, palestras e oficinas em seus espaços culturais.

Além da nona edição da "Feira PARTE", que apresenta jovens talentos no Clube A Hebraica até o domingo (12), quem visitar a Praça Benedito Calixto, em Pinheiros, pode conferir a produção de fotógrafos e coletivos que trabalham com suportes fotográficos na "Direct Message Foto", feira promovida pela Galeria Sancovsky que aproxima artistas independentes ou sem representação em galerias do público.

No sábado (11), o público tem uma ampla opção de atividades educativas, como palestras, bate-papos e oficinas. A Fundação Ema Klabin realiza a palestra "Arte e Curadoria" e mais uma edição do programa "Arte-Papo", onde o artista Marcius Galan debate arte contemporânea com o público.

Já o IMS-Paulista realiza a segunda oficina com o coletivo Mídia Ninja sobre documentação e transmissão de informações em tempo real, como parte das atividades em torno da exposição "Corpo a Corpo". O mais novo espaço cultural da Av. Paulista também recebe a roda de conversa "O artista em processo: Helena Martins-Costa e a memória fotográfica", onde a artista bate papo com o público sobre sua obra, sua linha de pesquisa e seu processo criativo.

Também no sábado, o Sesc Pompeia recebe em seu auditório o urbanista Guilherme Wisnik e o curador Diego Matos para uma aula e uma visita-guiada pelo "20º Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil". Na aula, os dois discutirão as contradições do projeto arquitetônico modernista, pontuando outras formas e práticas possíveis - tema que é um dos eixos curatoriais da mostra.

Por fim, o MASP também realiza evento educativo no próximo dia 11 de novembro. A pesquisadora Sabrina Sedlmayer conduz a palestra "Perdidos e achados: memória e infância na obra de Rivane Neuenschwander", que pretende oferecer uma leitura da obra da artista brasileira Rivane Neuenschwander e a sua afinidade reflexiva com pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin.

Para o público que já se programa para as férias de janeiro de 2018, o MIS-SP já abriu as inscrições para os seus tradicionais cursos de férias - com destaque para as opções voltadas ao público teen nas áreas de fotografia, edição de imagens e oficina de DJ's.

Veja a seguir as exposições que entram em cartaz durante o final de semana em São Paulo e algumas que encerram suas exibições nos próximos dias. E não deixe de conferir a programação da ArtWeekend nas galerias paulistanas.

ABERTURAS

BURGOS #2
ARTISTAS: VÁRIOS
CURADORIA: DUÍLIO FERRONATO E EDUARDO BESEN
DE 11/11 A 8/1
FUNARTE

Os burgos, na Idade Média, eram aldeias ou povoados que, ao longo dos séculos, deram origem às cidades e às grandes metrópoles. Atualmente, quem habita o ambiente urbano vive disputas constantes por espaço, dinheiro, prazer, amor e diversão. A proposta da exposição coletiva é mostrar como esses conflitos se manifestam no campo da arte: “como viver e criar na metrópole?”. Estarão em cartaz instalações, pinturas, desenhos e esculturas de artistas e coletivos que dialogam com o espaço urbano. Saiba mais.

Obra de Malu Pessoa Loeb (Divulgação)

AAAAAHHH!!!
ARTISTAS: TIAGO TEBET
DE 11/11 A 10/2
LUCIANA BRITO GALERIA

A mostra apresenta uma seleção de sete pinturas de dimensões variadas e uma escultura, todas de 2017, agrupadas a partir de dois procedimentos essenciais de sua criação. Um dos grupos é construído a partir do preparo da tela com massa (de uso para construção civil), à qual são sobrepostas inúmeras camadas de tinta de diferentes cores, que são subsequentemente lixadas. A segunda série de pinturas é criada a partir da fixação, no verso da tela, de pedras utilizadas para construção e acabamento de muros na periferia. Na frente da tela, Tebet aplica tinta a óleo em diferentes tons de cinza, que depois dilui com solvente, revelando o relevo das pedras afixadas em seu verso. Se em momentos anteriores de sua trajetória o artista ilustrava ou representava elementos arquitetônicos da periferia paulistana, agora essas referências constitutivas de sua pesquisa passam a integrar o corpo da obra. Durante o mesmo período, a galeria exibe a mostra "Vitrine", de Caio Reisewitz.  Saiba mais.

Tiago Tebet (Divulgação)

O VISITANTE, O INVASOR
ARTISTAS: RAQUEL GARBELOTTI
DE 11/11 A 20/12
GALERIA MARILIA RAZUK

O título da exposição refere-se às formas de atuação possíveis quando nos relacionamos com os espaços e com os outros; quer seja como visitantes, quer seja como invasores, atravessamos fronteiras, negociamos posições. O visitante, ou invasor, refere-se àquele ou àquilo que nos afeta ou por nós é afetado. Na exposição individual, a artista apresenta três núcleos de trabalhos que, embora se refiram a projetos distintos, quando aproximados, podem oferecer leituras mais complexas sobre questões de fronteiras e vizinhanças, poder e autoritarismo. Saiba mais.

Still do video O Porão, video colorido, 7', 2017. (Reprodução/Galeria Marilia Razuk)

RE.VER.SO
ARTISTAS: GIAN LUCA EWBANK E VINI PARISI
CURADORIA: RENATA JUNQUEIRA
DE 11/11 A 29/11
LUIS MALUF ART GALLERY

A mostra, composta por 12 obras inéditas, tem como proposta apresentar a diversidade da arte onde as diferenças são predominantes. O artista Gian Luca Ewbank, conhecido por explorar diversas técnicas de construção de imagem em um mesmo trabalho de arte, apresenta seis obras exclusivas, criadas com tinta acrílica, spray, colagens, fotografias e sobreposições, inspiradas nas diferenças culturais, de etnia, opção sexual e gênero. Já Vini Parisi, que exibe o seu trabalho por meio de pinturas, desenhos e intervenções através do figurativo feminino, nesta série, apresenta seis peças inéditas que se baseiam no conceito Kint Sugi, técnica japonesa de restauração em cerâmica. Saiba mais.

Gian Luca Ewbank, Sem título (Divulgação)

ZIP'UP: ZONA DE REMANSO - EXERCÍCIOS DE PERMANÊNCIA
ARTISTAS: FILIPE ACÁCIO
CURADORIA: GALCIANI NEVES
DE 11/11 A 16/12
ZIPPER GALERIA

É a partir de ações de resistência e permanência em zonas de remanso no litoral de Fortaleza que o artista cearense reúne em sua individual registros de performances, dejetos e desenhos que investigam uma potente tensão entre ir e ficar. A mostra sintetiza uma pesquisa realizada pelo artista entre 2011 e 2017 no litoral de Fortaleza, Ceará, nos muros de contenção construídos entre o mar e a cidade. A exposição faz parte do Zip’Up, um projeto experimental voltado para receber novos artistas, nomes emergentes ainda não representados por galerias paulistanas. A galeria apresenta simultaneamente em seu espaço a mostra "Você chegou ao seu destino", de Felipe CamaSaiba mais.

Filipe Acácio (Divulgação)

CANTEIRO DE OBRAS
ARTISTAS: CÉSAR BRANDÃO
DE 11/11 A 2/12
BARÓ GALERIA (JARDINS)

Na mostra individual, o artista explora a fronteira das linguagens – caminhando entre desenhos, pinturas, objetos, instalações, fotografias, além de suas apropriações de gambiarras como “espécies de ready mades”. Filho de operário, viveu na infância e adolescência em um bairro pobre perto de fábricas com fornos industriais. Os elementos desse contexto industrial sempre estiveram presentes em sua obra, o fogo, fumaça, produtos resultantes nas fundições, e materiais ali utilizados: cal, carvão, pedra, quartzo, sucata, etc. Esse contexto gerou sua fascinação por fundições em contraste com as gambiarras, que permeiam sua produção. Trata-se, portanto, da poética sobre essas práticas da cultura popular, em contradição aos processos industriais. Saiba mais.

Cesar Brandão, Canteiro de obras, 2017. Metal, medidas variáveis. (Divulgação)

INVÓLUCRO
ARTISTAS: THIAGO NEVS
DE 11/11 A 11/12
CASA SINLOGO

Para além das ruas, força motriz de suas criações, as obras que Thiago Nevs apresenta na primeira individual de sua carreira, carregam contundentes críticas a temas sensíveis da sociedade, como política, segregação e religião. Questões atuais do cenário político nacional, bem como antigas desigualdades da nossa sociedade transformam-se em força de criação, resistência e luta na obra do artista. Saiba mais.

Thiago Nevs, Contra Espaço, 2017 (Foto: Fábio Gomide/Divulgação)

RURAIS
ARTISTAS: ADRIANO AMARAL
DE 11/11 A 20/1
GALERIA JAQUELINE MARTINS

Na exposição individual, o artista exibe vídeos e instalações que mesclam recursos naturais, como água, luz e carvão, e produtos artificiais, como o silicone e a maquiagem, para fazer uma alegoria do corpo humano. Segundo João Laia, em texto sobre a mostra, "'Rurais' apresenta uma fragilidade que assinala as formas divergentes e em evolução que marcam a condição contemporânea". Saiba mais.

Adriano Amaral (Reprodução Facebook/Galeria Jaqueline Martins)

ÚLTIMOS DIAS

PEDRO CORREIA DE ARAÚJO: ERÓTICA
ARTISTAS: PEDRO CORREIA DE ARAÚJO
CURADORIA: FERNANDO OLIVA
ATÉ 18/11
MASP

Como se evidencia nas 66 obras selecionadas para a mostra individual do artista, apesar de sua formação acadêmica, fortemente influenciada pela Escola de Paris, o erotismo não se oculta sob a categoria do “estético” ou “artístico”. A exposição na Av. Paulista é dividida em quatro grandes núcleos representativos da produção de Correia de Araújo: nus, danças, retratos e a chamada série Erótica. A exposição assume como mote a sensualidade e a presença do erotismo não apenas nos nus ou na série de desenhos sexualmente mais explícitos, mas também, e especialmente, nas representações de danças brasileiras, como o jongo, e retratos femininos de caboclas, índias, e negras. Saiba mais.

Pedro Correia de Araújo- Jongo, sem data, óleo sobre tela, 120 x 142 cm. Coleção particular (Crédito: Jorge Bastos)

ESPUMA
ARTISTAS: KOHEI NAWA
CURADORIA: MARCELLO DANTAS
ATÉ 12/11
JAPAN HOUSE SÃO PAULO

Kohei Nawa, um dos principais nomes da nova geração de artistas japoneses, se destaca por uma surpreendente atuação multidisciplinar em artes, arquitetura e moda com trabalhos em distintas formas passeando entre esferas, modelagem 3D, artesanato tradicional, técnicas industriais, entre outras. Em "Espuma", o artista apresenta uma instalação mutante, localizada no térreo do centro cultural. A escultura transitória ficará em um ambiente azul, com iluminação programada para revelar sua constante transformação. Nesta mutação, uma espécie de montanha de espuma ou nuvens se modificarão a cada segundo. A obsessão com a experimentação de materiais e produtos químicos tem chamado a atenção pelos diferentes e frequentes usos em trabalhos que realiza. Saiba mais.

Espuma (Divulgação)

Perdeu as exposições que inauguraram essa semana? Clique aqui e confira a última seleção do InfoArtSP. Outras exposições em cartaz em São Paulo você encontra em nossa agenda.

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos