Notícias

Voltar

A Fabrica de Arte Marcos Amaro (FAMA) contrasta história e contemporaneidade

Visitar a Fábrica de Arte Marcos Amaro (FAMA) é celebrar a história e a arte brasileira. A antiga fábrica têxtil São Pedro hoje abriga um museu criado pela Fundação Marcos Amaro que se empenhou em restaurar e preservar o edifício que foi tombado. As paredes com tijolos à vista e a tinta branca dialogam harmonicamente com as obras lá expostas. É um contraste entre história e contemporaneidade.


Marcos Amaro, 2018. Black Mirror. Crédito: Marianna Rosalles-InfoArt

Os colecionadores Marcos Amaro e Ksenia Kogan Amaro concretizam em sua Fábrica o desejo, antes utópico, de tornar público o acervo que conquistaram. Para eles o colecionismo traduz um sentimento amoroso, trata-se de colecionar arte com paixão.

O curador Ricardo Resende afirma que as pessoas se surpreendem com a postura dos colecionadores de se relacionar diretamente com os artistas para comprar suas obras, apostando em seu olhar e desejo. Essa atitude muitas vezes é vista pelo mercado da arte como arriscada e ousada. “Os artistas antes sem esperança de verem suas obras de grande porte vendidas, as veem agora sendo adquiridas por uma coleção com essa perspectiva utópica, criadas pelos artistas livres na experimentação plástica e imediatamente expostas à visitação pública”, afirma Resende.


Obras do acervo permanente do Museu. Crédito: Marianna Rosalles |InfoArt 

O universo criado pelos colecionadores na Fábrica rendeu a Marcos Amaro reconhecimento em forma do título de cidadão ituano, que recebeu no último sábado (13). Ele afirma que se apaixonou pelo espaço e pela possibilidade de transformar o local em um polo de arte. A Fábrica recebe muitas visitas de escolas e espaços culturais e cumpre sua função social de criar uma cultura de contato com a arte desde a educação básica.


Hélio Oiticica. Relevo Espacial A19, 1959/2002Liquitex sobre madeira . Dimensões: 76.5 x 117 x 11 cm. Crédito: Marianna Rosalles - InfoArt

Algo que chama a atenção nas obras do acervo da Fábrica é a magnitude das peças, há uma ênfase no tridimensional. Esculturas e instalações gigantescas dividem harmoniosamente o espaço e disputam o olhar do espectador. De fato o museu celebra a arte em sua diversidade e mais elevada potência. Cores e formas, materiais rígidos e delicados, cores primárias e cobre, está tudo alí. Peças de nomes consagrados como Leda Catunda, Cildo Meireles, Adriana Varejão e Nuno Ramos estão presentes no museu. As obras transbordam o prédio do museu e ocupam também o jardim externo. Gilberto Salvador, Mestre Didi, são alguns dos artistas responsáveis pelas esculturas. Marcos Amaro também revela suas próprias produções no museu.
Visitar a Fábrica de Arte Marcos Amaro é se conectar com uma atmosfera criada por pessoas que amam arte sem uma relação de possessividade, a ponto de compartilhar com generosidade suas aquisições. Vale a pena conhecer!

Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos
Cadastre-se em nossa newsletter e receba o e-book Conservação de Esculturas em Espaços Públicos