AGENDA DAS ARTES

Voltar

Sala de vídeo: Anna Maria Maiolino

Artistas: Anna Maria Maiolino

Curadoria: Horrana de Kássia Santoz,

De 22/8 a 27/10

MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand Ver mapa

Endereço: Avenida Paulista, 1578

Telefone: 11 3251-5644

O Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) apresenta uma retrospectiva em vídeo de Anna Maria Maiolino, um dos nomes mais importantes da arte contemporânea brasileira. A mostra fica em cartaz de 22 de agosto a 27 de outubro e exibe nove títulos da artista italiana que reside em São Paulo.


Still de In-Out (Antropofagia), 1973-74, Anna Maria Maiolino, cortesia da Galeria Luisa Strina

A curadoria da mostra é assinada por Horrana de Kássia Santoz, assistente curatorial do MASP, que reuniu os trabalhos em três telas: duas laterais, que exibem trabalhos dos anos 1970-1980, e uma central, com obras dos anos 2000, construindo uma espiral de acontecimentos. 

Os vídeos dos anos 1970 foram produzidos em Super 8, formato popularmente adotado por diversos artistas do período devido à  maior possibilidade de explorar e dialogar vídeo, fotografia e outras linguagens..“Eu fiz uso do Super-8 porque tinha necessidade de experimentar”, comenta a artista Anna Maria Maiolino.


Still de In-Out (Antropofagia), 1973-74, Anna Maria Maiolino, cortesia da Galeria Luisa Strina

Outra característica que os trabalhos produzidos neste período tem em comum é o contexto histórico de ditadura militar. Temas como a repressão, o conflito, a tensão de guerra - algo que a artista já havia vivenciado durante sua infância na Sicília- se repetem na experiência brasileira e como não poderia deixar de ser, permeiam suas obras. 

Uma das características do trabalho da artista é seu apreço pelos processos mais do que pelo resultado final, alguns de seus vídeos demoraram anos para serem produzidos, é o caso de Um tempo (uma vez), feito entre 2009 e 2012, e Aos quatro ventos, produzido entre 2001 e 2011. “Posso começar um vídeo e pausar o trabalho, à espera de algo. A arte é, para mim, um meio de obter autoconhecimento”, reflete a artista. 

A curadora avalia que a a palavra, o tempo e o silêncio são a matéria-prima para Maiolino. “Boa parte dos filmes e vídeos recorrem ao enquadramento em close up de partes do corpo, como as mãos, os olhos, a boca, que enfatizam a narrativa política e histórica, reforçado por um elaborado trabalho de edição, seus cortes, montagens e trilhas”, afirma Horrana de Kássia Santoz. 

Sinopse dos vídeos
(pela ordem de exibição na sala)
In-Out (Antropofagia), 1973-74,  8’17”, Super 8, transcrito em vídeo em 2000
Roteiro, direção e montagem: Anna Maria Maiolino
Música: Laura Clayton
Fotografia: Sigmund Zehr (18 imagens por segundo, colorido)
Participação especial: João Eduardo Osório
A câmara focaliza alternadamente a boca de um homem e a de uma mulher, em um diálogo/não diálogo. O filme não possui história linear. Muda a mensagem, e a cor dos lábios. Figuram signos: o fio, os dentes, a boca tapada com esparadrapo, a impossibilidade da fala, a censura. O último suspiro. 

X, 1974, 3’06”, Super 8, transcrito em vídeo em 2000
Roteiro, direção e montagem: Anna Maria Maiolino
Música: Vania Dantas Leite
Fotografia: Max Nauenberg (18 imagens por segundo, colorido)
A câmera focaliza um olho, que ocupa toda a tela.  A câmera parada, fora da cena, é o outro olho, que observa desde fora. O outro elemento é o perigo — a tesoura cortante — e os traços de sangue.

Um Tempo (uma vez), 2009/2012, 7’34”, filmado em câmera digital
Música: Anna Maria Maiolino e Mateus Pires
Fotografia: Anna Maria Maiolino
Edição: Anna Maria Maiolino e Rafael Costa
Participação especial: Gabriel Gerchman, Verônica Gerchman e João Araújo
O interior de um carro em uma viagem por carreteiras.

Y, 1974, 2’23”, Super 8, transcrito em vídeo em 2000
Roteiro, direção e montagem: Anna Maria Maiolino
Música: Vânia Dantas Leite
Fotografia: Max Nauenberg (18 imagens por segundo, preto e branco)
Um grito e os olhos vendados de uma personagem se sucedem a espaços negros no tempo. Registro do momento presente, a repressão militar.

Um dia, 1976/2015, 4’, Super 8, transcrito e editado em 2015
Fotografia: Mônica Barbosa
Som e edição: Anna Maria Maiolino e Mateus Pires
Registro realizado em visita à Quinta da Boavista, no Rio, antiga fazenda particular, depois residência imperial e hoje sede do Museu Nacional e do zoológico da cidade. Ao seu lado, fica a caserna de um batalhão do Exército. Sons obtidos por pios artesanais de Tânia Piffer compõem a trilha.

09, da série LOG (Apresentações), 2013, 6’54”, vídeo digital
Roteiro, direção e fotografia: Anna Maria Maiolino
Edição: Anna Maria Maiolino e Mateus Pires
A série reúne autorretratos sonoros ou autodocumentários sobre experiências de vida. A voz da artista é o espelho da memória de realidades e fantasias. A narrativa tem linguagem híbrida, devido às sobreposições de fatos e emoções. A série de obras é uma e é múltipla, parte de um projeto maior de instalação visual e sonora, Sine Die [Sem Data], iniciado em 2003 e nunca exposto na totalidade. 

+ - = - (mais menos: igual a menos), 1976, 3’23”, Super 8, transcrito em vídeo em 2000
Roteiro, direção e montagem: Anna Maria Maiolino
Fotografia: Maria do Carmo Secco (18 imagens por segundo, preto e branco)
Participação Especial: Paulo Herkenhoff e Bruno Tauz
Dois jogadores disputam uma partida de ovos sobre uma mesa. Os ovos rolam pelos campos adversários sob o risco de cair e quebrar. O filme não aponta o vencedor.

Ad Hoc, 1982/2000, 3’41”, sonorizado e transcrito em vídeo em 2000
Roteiro e direção: Anna Maria Maiolino
Música: Paulo Humberto Moreira                 
Fotografia: Regina Vater
Participação Especial: Paulo Bruscky
Ad Hoc; a propósito em latim. As mãos, sem o corpo do homem, aparecem sobre o fundo preto da blusa. A trilha traz trechos da obra de Antonin Artaud, ainda atuais por nossos problemas sociais.

Aos Quatro Ventos, 2001/2011, 4’32”, filmado em H8 e transcrito em digital em 2001
Argumento, edição e fotografia: Anna Maria Maiolino
Atriz: Marilena Bibas
Voz: Verônica Gerchman
O personagem principal e motivador dessa obra é uma mulher que caminha no parque do Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro e fala com um personagem invisível.

Serviço
Sala de vídeo: Anna Maria Maiolino, de Anna Maria Maiolino
Datas e Horários: De 22/8 a 27/10. De terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira, das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
Local: MASP (Sala de vídeo, segundo subsolo) | Avenida Paulista, 1578 - São Paulo.
Ingressos: R$ 40 (entrada); R$ 20 (meia-entrada). O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras.