AGENDA DAS ARTES

Voltar

Corpo Capital

Artistas: Francisco Hurtz

Curadoria: -

De 2/9 a 30/9

Galeria TATO Ver mapa

Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1399 - Pinheiros, São Paulo - SP

Telefone: (11) 2389-1399

Galeria Tato apresenta individual de Francisco Hurtz, no dia 2 de Setembro.

Uma questão contemporânea urgente é a complexa relação de poderes entre corpos em uma sociedade estruturalmente desigual. 

Nota-se que o Patriarcado escolheu o corpo do homem como morada. É, principalmente, através do corpo do macho humano que a guerra, a política, as relações de domínio, a propriedade, a percepção de nação, o sentimento de patriotismo, a propriedade, a territorialidade e a violência se manifestam; o corpo do homem é agente de uma estrutura de poder imposta e naturalizada: o Estado.


Francisco Hurtz.

A figura do homem se confunde com as questões estatais; isto posto, entende-se que o Estado e suas peculiaridades são incorporados através do HABITUS - o principio unificador de práticas - adquirido pelo convívio numa sociedade condicionada com fins de mantenimento das estruturas de poder.

Valores do Estado como riqueza, poder político e influência, propriedade e capital cultural são valias desejáveis que se manifestam também nos corpos através de: padrões de beleza, juventude, virilidade e potência física; códigos visuais de moda e indumentária; ostentação de marca e bens de consumo; manifestações de gênero e sexualidade dominantes; heranças étnicas como cor, credo e cultura. Esses valores se acumulam.


Francisco Hurtz.

Certos corpos possuem mais qualidades desejáveis ao Estado e possuem mais Capital Social – consequentemente, possuem mais liberdade, direitos e privilégios através do reconhecimento coletivo desses valores. Existem ainda outros corpos - com menos Capital Social – os quais são vigiados, punidos, evitados, ignorados ou mortos num alinhamento ideológico entre os aspectos dos corpos dominantes e os interesses do Estado/Patriarcado. Esse complexo sistema se dá através de mecanismos da masculinidade, do colonialismo, da hegemonia heterossexual, do machismo, do eurocentrismo e da branquitude. O acúmulo de características pertinentes ao Estado garante ao homem um certo domínio social, numa correlação clara entre o acúmulo de capital e possibilidade de realizar coisas: a lógica Capitalista.

Francisco Hurtz – Setembro de 2017

Mostra Corpo Capital
Através da sua pesquisa sobre masculinidades, Francisco Hurtz desvela os mecanismos de manutenção de estruturas de poder e a manutenção da desigualdade através da repetição padrões de vidas socialmente aceitáveis, silenciamentos sociais estratégicos, marginalizações, eliminação de corpos indesejados e naturalização da violência contra minorias,  através da quebra da representação do Homem nas Artes Visuais.

Serviço:
Exposição: "Corpo Capital"
Data e Horário: 02 de setembro de 2017, das 11h às 19h.
Em cartaz: de 04/09/2017 à 30/09/2017
Horário de funcionamento: De segunda à sábado das 11h às 19h.
Local: Galeria Tato- Rua Fradique Coutinho, 1399, Vila Madalena
Entrada gratuita.