AGENDA DAS ARTES

Voltar

[Co]existências

Artistas: Varios

Curadoria: Douglas de Freitas

De 3/6 a 10/7

Galeria Base Ver mapa

Endereço: Av. Nove de Julho, 5593 - Jardim Paulista, São Paulo - SP

Telefone: (11) 3073-0295

No sábado, dia 03 de junho, às 15 horas, os sócios Daniel Maranhão e Fernando Ferreira de Araújo inauguram em São Paulo a Galeria Base, na Avenida Nove de Julho. A mostra inaugural é “[co]existências”, organizada pelo curador Douglas de Freitas. A coletiva reúne 24 trabalhos dos artistas Anna Bella Geiger, Anna Maria Maiolino, Antonio Dias, Eduardo Climachauska, José Rufino, Lygia Pape, Mira Schendel e Montez Magno.

A exposição apresenta obras que compreendem um recorte da década de 1960 aos dias de hoje de artistas de gerações distintas em que, segundo o curador, “de modo geral, e à primeira vista, têm questões ligadas ao desenho, como a linha e a geometria. Características próprias da produção de cada artista estão presentes nas obras, configurando novos recortes e abordagens possíveis”. 


Montez Magno (Timbaúba, PE, Brasil, 1934). Série Labirinto. 1967. Tinta luminosa sobre cartão betumado montado sobre madeira. 116 x 131 cm. Foto Fred Jordão.

Como o próprio título “[co]existências” sugere, a mostra propõe uma leitura cruzada. “As obras de Antonio Dias, Anna Bella Geiger e Montez Magno, cada uma a seu modo, estabelecem um diálogo a partir de uma discussão territorial”, acrescenta Douglas. Exceto pelas esculturas de José Rufino, que em abril deste ano recebeu o prêmio na categoria de melhor artista contemporâneo pela ABCA (Associação Brasileira de Críticos de Arte), e de Eduardo Climachauska, outro ponto de convergência da mostra vem a ser o suporte em papel.

São exibidas algumas obras inéditas em galeria, a exemplo de “Trilogia” de Montez Magno, da série “Labirinto”, datada de 1967, apresentada apenas no Salão Nacional de Belas Artes. Outro destaque é a reunião do estudo em desenho à guache de Mira Schendel e o vestido em que ele foi bordado. Integra o conjunto de obras da artista, ainda, um exemplar da série “Mandalas”, exibido em 2014 na Tate Modern e na Pinacoteca. Completam a mostra seis obras de Anna Maria Maiolino das séries “Cartilhas”, “Marcas de Gota” e de uma série executada com linhas. 

Anna Maria Mariolino (Scalea, Itália, 1942). Série Cartilhas 2. 1981. 50 x 70 cm. Foto Sérgio Guerini.

Serviço:
Coletiva “[Co]existências”, com curadoria de Douglas de Freitas
Abertura: dia 03 de junho, sábado, das 15 às 19 horas
Período expositivo: de 05 de junho a 1o de julho de 2017
Galeria Base