AGENDA DAS ARTES

Voltar

Claudia Jaguaribe - Encontro com LIUBA

Artistas: Claudia Jaguaribe

Curadoria: -

De 15/3 a 11/5

Galeria Marcelo Guarnieri Ver mapa

Endereço: Alameda Lorena, 1835 - Jardim Paulista

Telefone: (11) 3063-5410

A Galeria Marcelo Guarnieri recebe em seu espaço, entre os dias 15 de março e 11 de maio de 2019, uma instalação formada por fotografias feitas por Claudia Jaguaribe nos ateliês de LIUBA em Paris e em São Paulo. "Claudia Jaguaribe - Encontro com LIUBA" reúne imagens que são compostas por recortes, colagens e interferências serigráficas, propondo um diálogo entre as operações que LIUBA desenvolvia no espaço tridimensional e as desenvolvidas por Jaguaribe no bidimensional. Em seu trabalho, Claudia Jaguaribe também questiona a natureza da fotografia, expandindo seus modos de existência, seja em vídeos, objetos, instalações, livros ou até mesmo na internet. Simultaneamente, na Sala 1, a galeria apresenta a mostra "LIUBA", com esculturas da artista búlgura radicada no Brasil. A entrada em ambas as mostras é livre e gratuita.

Claudia Jaguaribe, Série Encontro com Liuba, Bronze, 2019. Impressão sobre papel algodão, 30 x 40 cm. Foto: cortesia da artista e Galeria Marcelo Guarnieri.

Claudia Jaguaribe nasceu na mesma década que LIUBA chegou ao Brasil, mas só "encontrou" com a artista em uma de suas estadias em Paris. Jaguaribe, que já vinha investigando a relação entre natureza e cultura por meio da fotografia, tinha muitas razões para se encantar por aquele jardim habitado por criaturas de bronze. Além da óbvia correspondência que se estabelecia entre as esculturas e a vegetação ao redor, o envolvimento que teve LIUBA com o projeto modernista e sua motivação pela dimensão pública da arte já lhe renderia alguma pesquisa. As esculturas de LIUBA não ocupam apenas salas de museus, reservas técnicas ou jardins particulares, elas também podem ser encontradas em jardins públicos, como o Jardim da Luz em São Paulo ou o Jardim Tino-Rossi em Paris, no Musée de la sculpture en plein air.

Claudia Jaguaribe já registrou em suas fotografias resultados diversos dessa difícil relação entre a humanidade e a natureza, seja do interior de apartamentos, das ruas de grandes centros urbanos ou em áreas de preservação ambiental. A participação humana, aliás, não se restringe à presença do corpo humano, mas abrange tudo aquilo que é de sua criação: seus objetos, construções, resíduos e intervenções. Desse modo, a arquitetura, dentro da produção de Jaguaribe, ganha uma importância semelhante à natureza: trata-se da paisagem, daquilo que se vê, mas que também se habita.

Claudia Jaguaribe, Série Encontro com Liuba, Soldado, 2019. Impressão sobre papel algodão, 30 x 40 cm. Foto: cortesia da artista e Galeria Marcelo Guarnieri.

Um encontro com Liuba
por Claudia Jaguaribe. 

Ao conhecer a obra de Liuba durante uma visita ao seu ateliê, em Paris, fiquei encantada com as múltiplas dimensões de seu trabalho. Ao voltar a São Paulo, resolvi logo fotografar seu acervo, desta vez no ateliê nessa cidade. Liuba faz parte de uma geração de artistas europeus que, emigrados pós-guerra, atuaram a partir dos anos 50 e 60, fundando o modernismo e exercendo grande influência na arte brasileira. Assim, ao fotografar suas obras, proponho a revisão de questões atuais e passadas sobre a herança modernista na arte.

Desde aquele primeiro encontro com Liuba entendi seu desejo de expansão do processo artístico; senti uma grande identificação com a tridimensionalidade das obras, com a necessidade de sair do plano, de ocupar o espaço e, também, com o seu flerte com a abstração da bidimensionalidade. Mas, ao estar em contato com seu trabalho, senti sobretudo a mesma busca por uma representação que extrapola o real.

Os pontos de contato entre mim e Liuba se descortinaram aos poucos, e então pude perceber que, com o seu estilo eclético, ela busca encontrar a modernidade, e eu a forma que expresse o contemporâneo. Percebi por meio dos animais, das formas e das figuras de Liuba, equivalências que ressoam no nosso cotidiano ao carregar o passado e o futuro de modo incerto. As fotografias resultantes deste encontro mostram seres híbridos, mutantes, que retratam a nossa condição de migrantes que transitam por diferentes nações, de estados de ser e de sexualidades. A carga dramática dessas formas escultóricas inseridas em imagens de hoje acentuam a universalidade das tensões presentes e a dimensão política da nossa condição humana.

Claudia Jaguaribe, Série Encontro com Liuba, Ponte, 2019. Impressão sobre papel algodão, 30 x 40 cm. Foto: cortesia da artista e Galeria Marcelo Guarnieri.

Sobre a artista
Claudia Jaguaribe (1955) é formada em história da arte, artes plásticas e fotografia pela Boston University (EUA), e vem participando de exposições nos principais museus e galerias do Brasil e no exterior desde 1990. Jaguaribe desenvolve uma pesquisa que explora a ideia de perspectiva e ponto de vista não só no assunto escolhido ou na maneira de fazer – em Entrevistas, por exemplo, série de fotografias produzidas a partir de conversas e visitas a casas de moradores de diversos bairros e classes sociais da cidade de São Paulo, onde são retratados junto às vistas de suas janelas –, mas também na maneira de exibir – em No Jardim de Lina, sua mais recente exposição na Casa de Vidro, em que dispõe as fotografias que fez do jardim, impressas em superfícies translúcidas, à frente dos grandes vidros que separam o interior da casa ao seu exterior, compondo uma cena de imagens sobrepostas.

Tem treze livros publicados e reconhecidos pela singularidade da integração fotográfica e projeto gráfico. Em parceria com Iatã Cannabrava e Claudi Carreras fundou, em 2013, a editora de fotolivros Editora Madalena, especializada em fotolivros.

Claudia Jaguaribe, Série Encontro com Liuba, Menino, 2019. Impressão sobre papel algodão, 30 x 40 cm. Foto: cortesia da artista e Galeria Marcelo Guarnieri.

Serviço
Exposição: "Claudia Jaguaribe - Encontro com LIUBA", de Claudia Jaguaribe.
Datas e horários: Abertura dia 15 de março, sexta-feira, das 19h às 22h. Em cartaz até 11 de maio de 2019. De segunda a sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10h às 17h.
Local: Galeria Marcelo Guarnieri (Sala 2) | Alameda Lorena, 1835 – Jardins, São Paulo.
Entrada gratuita.