AGENDA DAS ARTES

Voltar

A Minha Poesia Covarde

Artistas: Fabiano Al Makul

Curadoria: Diógenes Moura

De 20/9 a 22/10

Lombardi Galeria Ver mapa

Endereço: Rua Joaquim Antunes, 187 - Jardim Paulistano - São Paulo

Telefone: (11) 2528-0409

A Lombardi Galeria, de Álvaro Lombardi, inaugura sua sede com a mostra "A Minha Poesia Covarde", do fotógrafo paulistano Fabiano Al Makul, sob curadoria de Diógenes Moura. Composta por 30 imagens que exploram o fascínio do artista por cenas simples e espontâneas, encontradas ao acaso, a exposição é um aprofundamento na produção recente do artista, que chama atenção pelo olhar detalhista em busca de elementos como sombra e luz, conectando as cenas através da composição de polípticos pautados pela cor.

Fabiano Al Makul (Divulgação)

Após processo de aglutinar para selecionar, artista e curador optaram por criação de dípticos e/ou trípticos não apenas influenciados por sua gama cromática, mas um amalgama de conceitos e lembranças também baseados na cor. Sem definição conceitual prévia dos temas a serem registrados, Fabiano Al Makul segue a paixão que apreende o olhar quando se depara com o momento. Seus registros se apresentam como músicas visuais. A história por traz da imagem registrada, real ou imaginária, compõe a obra final. "Uma fotografia será sempre um retrato e um retrato será sempre um veredito”, declara o curador.

Seus personagens são todos e nenhum. Na atual seleção, o humano aparece apenas em poucos registros, mas apenas como composição. Elementos ordinários do cotidiano, a pintura desgastada no asfalto, detalhes da arquitetura, destaques da natureza, a cadeira vazia. Temas banais elevados a categoria de obras de arte com a sofisticação do olhar no momento preciso da fotografia. “É irritantemente belo. Esse drama, em poética, é o esplendoroso”, diz o artista. As imagens de Fabiano Al Makul contêm as referências das cidades por onde vagou, com câmera na mão, vítima do encontro ao acaso. Como um segredo, cada uma delas rompe a covardia de um verso. Nas palavras do curador: “Nesse limite, não há saída: ou tudo, ou nada".

“'A Minha Poesia Covarde' não é apenas um verso. Fabiano Al Makul não é apenas um fotógrafo. É transeunte. Ou 'enxerga' a cidade e sobrevive ou a 'vê' e desaparece. Eis a decisão final. Trata-se de um jogo no singular, um retrato, um livro aberto que página por página poderá mudar a cada instante”, define Diógenes Moura.

Fabiano Al Makul (Divulgação)

Sobre o artista
Natural de São Paulo. Fez sua primeira individual em 2013 - "Elementos Em Cor", em São Paulo, onde retratou sua paixão pelas cores e elementos em cenas simples ou mesmo num espectro mais amplo. No mesmo ano, participou da coletiva "Mail Art Cupcake", realizada no MuBE, São Paulo. Em 2015, em São Paulo, teve sua segunda individual, "A Riqueza Da Cena Simples", onde procurou manifestar num contexto poético a sutileza do detalhe de uma cena que normalmente passaria despercebida. Expressou sua alma em cenas do cotidiano ricas em sombra e luz, bem como a paixão pelas cores que conectam situações distintas através de Polípticos. Em novembro de 2015, em Belo Horizonte exibiu "Outros Olhos Pra Ver", um resumo de todo o seu trabalho autoral sob curadoria de Wilson Lazaro e, em setembro de 2016, sua primeira individual no Rio de Janeiro, "Caderno De Anotações". Em 2017, participou de coletivas em São Paulo e Goiânia. Ao longo de sua trajetória, tem se caracterizado por uma pesquisa não sistemática, deixando a sensação de escolher temas ao acaso, retratando cenas que lhe remetem a saudade, a uma música, a nostalgia, enfim, a emoção do olhar sobre a poesia do pequeno gesto.

Fabiano Al Makul (Divulgação)

Serviço
Exposição: "A Minha Poesia Covarde", de Fabiano Al Makul com curadoria de Diógenes Moura.
Datas e horários: Abertura dia 20 de setembro, quarta-feira, às 19h. Em cartaz até 22 de outubro de 2017. De segunda a sexta-feira, das 10 às 19h; sábado, das 12 às 16h.
Local: Lombardi Galeria | Rua Joaquim Antunes, 187 - Jardim Paulistano, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.