Vídeos

Vídeo: Depoimento do duo NONOTAK sobre a mostra "次元 Dimensão", na JAPAN HOUSE SP

Em cartaz até o dia 6 de janeiro de 2019, a exposição do duo NONOTAK, na JAPAN HOUSE São Paulo, é a primeira dos artistas na América Latina e apenas a terceira que realizam na carreira. Em "Dimensão", o duo formado por Takami Nakamoto e Noemi Schipfer propõe a quebra entre as fronteiras das artes visuais e da arquitetura através de instalações imersivas e sensoriais, que unem som, luz e performance. "Realmente queríamos que as pessoas descobrisse a maneira vívida como controlamos a luz, assim como a forma como montamos as instalações", comenta Nakamoto.

Conhecidos por usar a tecnologia personalizada e por adotar a tecnologia convencional de maneiras não convencionais para gerar um efeito único e personalizado, os artistas contam no vídeo como começaram suas carreiras e a importância de ter o trabalho do NONOTAK studio exposto na JAPAN HOUSE São Paulo. "Tenho muito orgulho pelo fato da primeira exibição solo do Nonotak Studio na América Latina, ser na JAPAN HOUSE. Isso significa muito para a gente porque estamos retomando as nossas raízes ao mesmo tempo que estamos amadurecendo", completa Nakamoto.

Natasha Barzaghi Geenen, diretora cultural da JAPAN HOUSE São Paulo, ainda observa que a mostra vai no sentido da vocação do espaço cultural, que é apresentar o Japão contemporâneo e suas diversas facetas. "É uma cena jovem japonesa que está sendo representada aqui e que está completamente conectada com o resto do mundo onde ela está inserida", observa.

Confira no vídeo a seguir, publicado no canal da JAPAN HOUSE São Paulo no YouTube, o depoimento dos artistas e falas do curador e da diretora cultural do espaço cultural:

Vídeo: Claudia Andujar e a luta Yanomami

O vídeo "Claudia Andujar: a luta Yanomami | Depoimento da fotógrafa", disponibilizado pelo canal do Instituto Moreira Salles no YouTube, dá uma ideia do que esperar da exposição da fotógrafa e ativista, em cartaz no IMS Paulista até abril de 2019. No depoimento que traz imagens da entrevista da artista e de suas fotos expostas, Andujar fala sobre a sua aproximação do povo Yanomami, da sua luta através da fotografia e sobre a mostra, que abre ao público no sábado (15/12). "Eu acho que a exposição pode ajudar a mostrar um outro povo, como que vivem, um pouco quem são, então de uma certa maneira, essa exposição agora é importante", observa a artista.

A retrospectiva da obra de Claudia Andujar dedicada aos Yanomami, povo indígena ameaçado de extinção, ocupa dois andares do IMS Paulista com aproximadamente 300 imagens e uma instalação, além de livros e documentos sobre a trajetória da tribo em busca de sobrevivência. A seleção do material exposto é resultado da pesquisa de muitos anos realizada pelo curador Thyago Nogueira, coordenador da área de fotografia contemporânea do IMS, no acervo de mais de 40 mil imagens da artista.

Confira o depoimento:

Entrevista de Ai Weiwei no programa Roda Viva

No último dia 12 de novembro, o tradicional programa de entrevistas da TV Cultura recebeu em seu cenário o badalado artista chinês Ai Weiwei, que apresenta a mostra "Ai Weiwei Raíz", na Oca Ibirapuera, em São Paulo. A exposição, em cartaz até janeiro de 2019, é a primeira realizada pelo artista no Brasil e a maior de sua carreira.

No programa "Roda Viva" o artista falou sobre arte, cultura, liberdade de expressão e política - Weiwei é conhecido por suas críticas a governos autoritários e sua produção sempre possui por trás alguma reflexão política, tornando-a "uma ponte que una as pessoas que querem se expressar, que precisam de uma voz", como falou o artista na entrevista.

Confira a seguir o programa na íntegra!

"Lixo Extraordinário": o trabalho de Vik Muniz no aterro do Jardim Gramacho

O documentário anglo-brasileiro “Lixo Extraordinário” (2010) relata o trabalho do artista plástico Vik Muniz com catadores de material reciclável em um dos maiores aterros controlados do mundo, localizado no Jardim Gramach, bairro periférico de Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Muniz produz obras de arte com a ajuda dos catadores, utilizando os materiais encontrados no lixão para formar imagens incríveis dos trabalhadores locais, transformando suas vidas. Além da criatividade e beleza das obras, o documentário apresenta a realidade de pessoas que vivem em condições críticas de pobreza e saneamento, além de apresentar o problema ambiental criado pela disposição de resíduos sólidos no país.

Em 3 de junho de 2012, com a presença do prefeito Eduardo Paes e da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o aterro controlado de Gramacho foi fechado. Na ocasião, a ministra informou que a meta nacional era o encerramento de todos os lixões até 2014.

Confira o documentário completo a seguir: