Vídeos

Voltar

Conservação de Esculturas em Espaços Públicos - Fase III

 Projeto, que conta com patrocínio da Bombril, visa recuperação de importantes esculturas e monumentos da cidade de São Paulo; obras de artistas consagrados como Nuno Ramos, Franz Weissmann, Amélia de Toledo entre outros fazem parte da ação 

Idealizada pela produtora Sequóia Produções em parceria com um dos mais respeitados escritórios de restauro e conservação, o Ateliê Julio Moraes, a iniciativa já passou por duas fases. Na primeira, em novembro de 2018, foram recuperadas nove esculturas e monumentos da Praça da Sé, no centro da cidade. Entre os destaques, Abertura (1970), escultura em aço de Amilcar de Castro; Voo (1967), de Caciporé Torres; Nuvem Sobre a Cidade (1979), de Nicolas Vlavianos; Emblema de São Paulo (1979), de Rubem Valentim e as esculturas Sem título de Mario Cravo Júnior, em aço inoxidável, e de Sergio Camargo, em mármore carrara - todos na Praça da Sé. 

A segunda fase foi realizada no final de janeiro, e contou com a recuperação de três esculturas no Parque Trianon, na Avenida Paulista: Fauno (1944), de Victor Brecheret; Anhanguera (1935), de Luís Brizzolara e Busto de Joaquim Eugenio de Lima (1952), de Roque de Mingo

A terceira fase será o restauro das peças do Jardim das Esculturas no MAM. Inaugurado em 1993, ele abriga 30 esculturas numa área de 6 mil metros quadrados, sendo um dos principais acervos brasileiros expostos a céu aberto.  Confira a seguir registros desse processo. 

Confira noticia na integra.