Notícias

Voltar

Projeto Latitude apoia galerias brasileiras na Art Basel Hong Kong

Por meio de uma parceria entre a ABACT - Associação Brasileira de Arte Contemporânea e a Apex-Brasil - Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, o Projeto Latitude – voltado à internacionalização do mercado brasileiro de arte contemporânea – apoia a participação de três galerias brasileiras durante a realização da feira de arte internacional asiática Art Basel Hong Kong 2016, em sua quarta edição.

As galerias Casa Triângulo, Mendes Wood DM e Galeria Nara Roesler, participantes desta edição da feira, foram pioneiras em estabelecer laços comerciais e culturais com a região, tendo participado anteriormente da Art HK. A partir de 2013, a feira foi absorvida pela Art Basel, a bem-estabelecida franquia internacional de feiras de arte atuante desde 1970 na Suíça e, desde 2002, em Miami Beach, nos Estados Unidos. 

Paulo Nazareth. série Cadernos de África, 2013. Materiais: fotografia sobre papel de algodão. Cortesia Galeria Mendes Wood DM.

Desta Art Basel Hong Kong participam nada menos que 239 galerias, as quais exibem um vasto conjunto de obras, desde pinturas, gravuras, fotografias, filmes, vídeos e arte digital, de mais de 3000 artistas. Dividida em seções que contemplam desde obras-primas históricas até a nova geração de artistas asiáticos, a feira vem firmando Hong Kong no cenário internacional de arte moderna e contemporânea desde sua primeira edição em 2013.

Na seção Galleries estão 187 galerias internacionais, enquanto em Insightsestão projetos de galerias situadas na região da Ásia e Ásia-Pacífico. Em Discoveries, seção de site specifics, estão trabalhos individuais ou em dupla criados e selecionados especialmente para a feira. A seção Encounters, com curadoria de Alexie Glass-Kantor, apresenta esculturas de grande porte, além de instalações ao longo do espaço expositivo. Por fim, a seção Film oferece ao visitante uma seleção de filmes de arte no Hong Kong Arts Centre. 

Isaac Julien. En Passage (Stones Against Diamonds), 2015. Lightbox. Edição: 4/4 + 1. Dimensões: 120 x 160 cm. Cortesia Galeria Nara Roesler.

Sua programação de discussões e apresentações serve de plataforma para intercâmbio cultural para galeristas, curadores, colecionadores e visitantes. 

A feira acontece em Hong Kong entre 24 e 26 de março de 2016. O apoio à participação das galerias na feira é uma das ações integrantes do Projeto Latitude.

Casa Triângulo (seção Galleries, estande 1D42) exibe obras de Ascânio MMM, Mariana Palma e Joana Vasconcelos. Dirigida por Ricardo Trevisan e Rodrigo Editore, figura entre as mais renomadas galerias brasileiras em atividade, atuando há 28 anos na construção e consolidação de artistas de renome a partir de sua sede em São Paulo e também apoiando seus artistas em mostras nacionais e internacionais. 

Mendes Wood DM (Galleries, 1D19) exibe trabalhos de Adriano Costa, Paulo Monteiro e Paulo Nazareth. Criada em 2010 com o propósito de exibir artistas estrangeiros e brasileiros, a galeria fomenta a produção artística local enquanto promove colaborações criativas internacionais. Cultiva um programa de mostras individuais e coletivas pautadas pelo conceitualismo, resistência política e rigor intelectual.

Joana Vasconcelos. Angélica, 2013. Materiais: faiança Rafael Bordalo Pinheiro pintada com vidrado cerâmico e renda em crochê dos Açores. Dimensões: 125 x 55 x 25 cm. © Unidade Infnita Projectos. Cortesia Casa Triângulo

Galeria Nara Roesler (Galleries, 3C20), por sua vez, apresenta obras dos artistas Cristina Canale, Isaac Julien, Julio Le Parc, Tomie Ohtake e Vik Muniz. Fundada em São Paulo em 1989 por Nara Roesler, a galeria é dirigida há 25 anos em parceria por seus filhos Daniel e Alexandre. Com um grupo estável de artistas que inclui pioneiros como Abraham Palatnik, Antonio Dias, e Paulo Bruscky, e uma nova geração que inclui Carlito Carvalhosa, Lucia Koch e Virginia de Medeiros, a galeria se compromete a apoiar a produção de artistas emergentes e estabelecidos. Em 2014, inaugurou sucursal na cidade do Rio de Janeiro e, neste ano, abriu escritório em Nova York, EUA 

Histórico e ações do Latitude
No início do Projeto Latitude, em 2007, o valor de exportação alcançado pelas galerias associadas ao programa foi de cerca de US$ 6 milhões. Em 2015, o volume exportado chegou a quase US$ 67 milhões, o que representa um salto de 97,4% em relação ao ano de 2014, cujas exportações totalizaram vendas de US$ 33.921.564 para 22 países. 

Os principais destinos dos negócios internacionais das galerias em 2015 foram: Estados Unidos, Reino Unido, Suíça, Hong Kong e Turquia. A participação das galerias associadas à ABACT nesse montante aumentou de 41,3 % para 68,4%, atestando a relevância das ações do Projeto Latitude voltadas à promoção da arte brasileira em eventos e feiras de arte internacionais.

Somente no último convênio com a Apex-Brasil, 11 galerias foram introduzidas no mercado internacional com o apoio do programa Latitude, e mais de 30 galerias foram apoiadas pelo Projeto para participações em feiras internacionais, gerando aproximadamente US$ 11,1 milhões em negócios, com vendas de mais de 500 obras para 37 países e para pelo menos 22 instituições internacionais. A expectativa da equipe do Projeto é de ampliar estes números neste novo Convênio.

Além de ações contínuas de gestão e de comunicação, voltadas para o fortalecimento institucional, estão previstas outras 22 ações para o biênio 2015-2016, entre as quais, o apoio às galerias participantes em importantes feiras internacionais, como a Art Basel Miami Beach (EUA), ARCOmadrid( Espanha), ArtBO (Colômbia), entre outras; realização de Art Immersion Trips, por meio das quais o projeto recebe formadores de opinião, profissionais e colecionadores para vivenciar a cena cultural brasileira; capacitação das galerias para atividades específicas e para atuação no mercado internacional; e a realização de pesquisas setoriais e estudos sobre mercados específicos. O conjunto de ações tem como objetivo aumentar o resultado das exportações do mercado primário de arte contemporânea brasileira com uma visão de longo prazo.

Receba o e-book do projeto de Conservação de Esculturas em Espaços Públicos