Notícias

Voltar

Programação da 15ª edição da SP-Arte extrapola os limites do Pavilhão da Bienal e ocupa a cidade

Por meio de intensa programação dentro e fora do Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, o Festival oferece possibilidades de conexão com os milhares de autores e trabalhos expostos ao longo dos cinco dias de evento. 

Interior do prédio projetado por Oscar Niemeyer. Foto: Jéssica Mangaba para SP-Arte/2018.

Entre os dias 3 e 7 de abril de 2019, o Pavilhão da Bienal recebe a 15ª edição da SP-Arte – Festival Internacional de Arte de São Paulo. Neste ano, atividades gratuitas, como visitas a estúdios de artistas e eventos em galerias pela cidade, antecedem e preparam a abertura do Festival; bem como, dentro do edifício projetado por Oscar Niemeyer, durante os cinco dias de evento, acontecem ciclos de debates com artistas, visitas guiadas pelos estandes e lançamentos editoriais. Em meio à essa agitada programação, a SP-Arte traz alguns dos mais influentes expositores de arte e design do País e do mundo, reforçando seu papel enquanto plataforma de fomento à cultura no Brasil.

O evento, o mais importante do setor na América Latina, conta com expositores de diversas regiões do Brasil e do mundo e apresenta novos curadores, encontros com artistas e a participação de instituições renomadas entre as principais novidades para a sua 15ª edição. Confira parte da programação do Festival a seguir:

Zilvinas Kempinas chama atenção no estande da Galeria Leme. Foto: Ênio Cesar para SP-Arte/2018.

Talks
Uma importante plataforma de reflexão em torno dos rumos e das diferentes narrativas da arte contemporânea. Assim será a próxima edição do Talks, ciclo de debates organizado pela SP-Arte, que conta com especialistas da área, incluindo curadores, diretores de instituições artísticas e pesquisadores. Em 2019, os encontros gratuitos acontecem nos dias 5, 6 e 7 de abril, no auditório do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM-SP), ao lado do Pavilhão da Bienal. A entrada é gratuita e sujeita à lotação do espaço.

Os antropólogos Hélio Menezes e Lilia Schwarcz, do time curatorial da exposição "Histórias afro-atlânticas", do MASP, se unem a Diane Lime, curadora do Valongo Festival de Imagem, em 2018, para uma discussão em torno das novas narrativas curatoriais no Brasil, que vêm trazendo à luz artistas até então excluídos da história da arte canonizada e dando origem a projetos artísticos inovadores – desde portes menores até grandes exposições institucionalizadas.

A cena artística da América Latina também será um tema de destaque nas conversas, com discussões que levantam questionamentos e reflexões sobre a retomada da internacionalização da arte brasileira e latino-americana, além de análises acerca das perspectivas promissoras do mercado. Neste ponto, Alexia Tala, curadora chilena responsável pelo setor Solo da SP-Arte – focado em artistas do continente – mediará um encontro entre Paulo Miyada, curador do Instituto Tomie Ohtake e curador-adjunto da Bienal de São Paulo 2020, e José Esparza Chong Cuy, curador da exposição "Jonathas de Andrade: One to One" (MCA Chicago) e integrante do time curatorial da exposição "Lina Bo Bardi: Habitat", a ser inaugurada em abril, no Masp.

Em uma conversa dedicada às inovações do mercado de arte, Carol Pino, representante do Artsy na América Latina, coloca o continente no foco central para discutir as potenciais transformações no setor daqui para frente, citando o ambiente digital como o principal aliado. Fernanda Feitosa, diretora da SP-Arte, também integra o painel ao comentar as estratégias digitais adotadas pela Feira.

A iniciativa privada no setor cultural, assim como a possibilidade de formatos inovadores para instituições de arte também são temas de mesas do Talks, e contam com a presença de Marcos Amaro, presidente da Fundação Marcos AmaroSilvio Frota, diretor do Museu da Fotografia de Fortaleza, assim como Benjamin Seroussi e Fernanda Brenner, diretores da Casa do Povo e do Pivô, respectivamente. Josué Mattos, vencedor do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça na categoria curadoria, e Clarissa Diniz, curadora que o acompanhou durante seu processo de pesquisa para a premiação, completam o time de convidados desta edição. Confira a programação completa no site da SP-Arte.

Obra assinada por Ai Weiwei na alemã Neugerriemschneider: uma das mais fotografadas do Festial em sua 14a edição. Foto: Jéssica Mangaba e Ênio Cesar para SP-Arte/2018.

Meet the Artists
Nos dias 5 e 6 de abril, sexta-feira e sábado, o Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça promove, em parceria com a SP-Arte, o Meet the Artists, série de conversas que têm como intuito promover a troca de experiências com os artistas premiados da 6ª edição. Trata-se de uma oportunidade singular para a compreensão dos processos criativos por trás de trabalhos desenvolvidos ao longo de suas trajetórias. Os encontros acontecem em um espaço institucional do Prêmio Marcantonio Vilaça na SP-Arte, localizado no segundo andar do Pavilhão.

Para o ciclo de conversas, os vencedores convidam curadores que acompanharam o desenvolvimento de seus trabalhos para o Prêmio: Daniel Lannes, com Jailton MoreiraFernando Lindote, com Paulo Herkenhoff; Jaime Lauriano, com Moacir dos Anjos; e Pedro Motta, com Cauê Alves.

O espaço institucional do Prêmio Marcantonio Vilaça promove ainda um encontro com a artista Anna Bella Geiger, homenageada da vez no Projeto Arte e Indústria, realizado em paralelo ao Prêmio. O anúncio dos premiados da próxima edição também será realizado no espaço, que contará com obras de Geiger e uma exibição de vídeos sobre os artistas já contemplados pelo Prêmio. Confira mais detalhes da programação do espaço na Feira.

Stephan Doitschinoff, Jurema Preta com enteógenos 1, 2015. Acrílica sobre tela, 122 x 93 cm. © Imagem Vitor Pickersgill / Cortesia Stephan Doitschinoff e Janaina Torres Galeria.

Circuito Ateliês Abertos
Apresentado pela Stella Artois, o Circuito Ateliês Abertos acontece no sábado que antecede a 15ª SP-Arte, 30 de março. No dia, artistas das mais diversas áreas abrem seus espaços e convidam o público para um mergulho em seus universos particulares, colocando-o em contato com os bastidores da criação artística. A novidade da edição fica por conta da expansão da iniciativa realizada pelo Festival, que somará à ação, já tradicional na Vila Madalena, espaços do centro da cidade.

Entre os locais que estarão de portas abertas ao longo do dia, estão os estúdios de artistas renomados como avaf, Bruno DunleyPedro Caetano e Sofia Borges, que estará paralelamente com exposição na Mendes Wood DM. O Atelier do Centro, núcleo de estudos de arte e pesquisas idealizado por Rubens Espírito Santo, e o Pivô, instituição dedicada à experimentação artística, instalada no edifício Copan, somam-se à programação do centro de São Paulo.

Na Vila Madalena, quatro espaços coletivos integram o Circuito, que pode ser feito a pé na região: Fonte, Projeto Fidalga, Hermes Artes Visuais e Vão – Espaço Independente de Arte. O primeiro deles sediará o bate-papo "Ateliês abertos: conhecimentos compartilhados", que contará com a participação de artistas que fazem uso desses locais de criação, a exemplo de Ivan Padovani (Vão), Carla Chaim (Hermes), Nino Cais (Fonte), Ding Musa (Fidalga). A conversa será mediada por Valquíria Prates, professora e pesquisadora de processos artístico-pedagógicos do Instituto de Artes da Unesp. Saiba mais detalhes sobre a programação do Circuito Ateliês Abertos.

Na galeria Luis Maluf, som ambiente, luz e decoração compuseram a experiência dos visitantes na edição 2018 da Gallery Night. Foto: Ênio Cesar / Sp-Arte 2018.

Gallery Night
Na segunda e terça-feira que antecedem a SP-Arte, dias 1° e 2 de abril, galerias e instituições culturais dão o pontapé no Festival ao participarem do Gallery Night – programação apresentada pela Stella Artois. Funcionando em horário estendido, das 17h às 21h, as galerias apresentam uma série de atividades gratuitas, entre aberturas de exposições, visitas guiadas, performances e festas.

No dia 1º de abril, as atividades se concentram nos bairros de Pinheiros e Vila Madalena. A Galeria Bolsa de Arte promove uma visita guiada com Carlos Vergara, artista que protagoniza a exposição "Natureza Inventada". A Fortes D'Aloia & Gabriel abre a individual "O alienista", de Rivane Neuenschwander, e a artista Regina Parra recebe o público na Galeria Millan, em meio à mostra "Bacantes". O Instituto Tomie Ohtake se soma à programação na região, apresentando diversas exposições, entre elas "Tomie Ohtake Brasa Rubor", com peças da artista que dá nome ao instituto – em um recorte que aborda sua capacidade geométrica. Já o espaço Viva Projects recebe a editora Ikrek, que comemora cinco anos de atuação com uma retrospectiva de suas publicações.

No dia 2, é a vez das galerias dos Jardins, Itaim Bibi e Vila Nova Conceição. A Mendes Wood DM, além de expor trabalhos de Sofia Borges, inaugura exposição do artista Antônio Obá – um dos destaques do estande da galeria na SP-Arte. A Galeria Superfície aposta em uma mostra sobre arte conceitual dos anos 1970, com trabalhos de Antonio DiasLygia Pape e Regina Silveira, entre outros. Na Mario Cohen, o artista Robério Braga faz uma visita guiada por sua exposição "Ventos, luzes e tranças".

Já a Galeria Luisa Strina apresenta duas mostras simultâneas: "Paisajes de Trabajo", individual do cubano Carlos Garaicoa, e uma coletiva com obras de Cildo MeirelesJimmie Durhan e Pedro Cabrita, artistas conceituais de renome internacional. A Bergamin e Gomide exibe ao público um documentário sobre o artista catalão Antoni Tàpies, em cartaz no espaço da galeria. E, na Berenice Arvani, o curador João Spinelli recebe o público para uma visita guiada à mostra "Liberdade e ousadia nos anos 60", de Tereza Nazar.

A poucos metros dos Jardins, a Cidade Matarazzo aproveita o movimento da cidade e abre a mostra "Alma", individual de Cristiano Mascaro, com curadoria de Marc Pottier. O fotógrafo paulista apresenta uma série de registros do espaço, antigo hospital que em breve se tornará um grande complexo hoteleiro, comercial e residencial de luxo. Confira no site da SP-Arte as galerias participantes do Gallery Night.

Visitas guiadas gratuitas serão oferecidas pela Vivo novamente na 15a Edição da Feira. Foto: Ênio Cesar para SP-Arte/2018.

Visitas Guiadas
Com patrocínio da Vivo, as visitas guiadas são oferecidas gratuitamente ao público no interior do Pavilhão. Os roteiros temáticos, que apresentam diálogos entre artistas e obras de todos os setores da SP-Arte, são idealizados com autonomia e protagonismo por especialistas de áreas como a literatura, arquitetura, design e artes visuais: Ana Beatriz Almeida, Bianca Leite, Gustavo Colombini, Isabella LenziLivia DebbanéPaola Fabres integram o time desta edição.

Ao longo de todos os dias de Festival, os circuitos serão conduzidos pelos próprios especialistas e cruzarão temas distintos e urgentes como as relações entre arte e gênero, arte e política, aspectos da história da arte brasileira e internacional e o cruzamento das artes visuais com outras expressões.

As visitas terão partidas a cada 30 minutos, iniciando-se sempre às 14h até às 18h30. No domingo, as visitas seguem das 13h às 17h30. Para participar, os interessados deverão se inscrever presencialmente no Balcão de visitas guiadas, no segundo piso. Veja mais detalhes sobre as visitas guiadas gratuitas.

HI-FI, da editora e gráfica Ipsis, reúne registros fotográficos de Daniel Kfouri em Cuba. Foto: Jéssica Mangaba para SP-Arte/2018.

Lançamento de livros
Nos dias 4 a 6 de abril, o Lounge de Lançamentos irá concentrar lançamentos de publicações de artistas, curadores e pesquisadores das artes visuais. Destaque para Capacete 20 anos – Comendo, bebendo, pensando, um compilado de textos e imagens de colaboradores que passaram pelo Capacete, espaço multidisciplinar carioca que promove residências, exposições e publicações sobre arte. O artista Amilcar Packer e o curador Agnaldo Farias estão entre os autores.

Dois dos maiores clássicos da literatura ocidental aparecem juntos no Box Homero Ilíada e Odisseia, lançado pela Ubu Editora. A edição é traduzida por Christian Werner e ilustrada por Odires Mlászho, presente no lançamento do compilado. A Ikrek apresenta ao público Avenida las Palomas, livro da artista chilena Francisca Aninat composto por cianotipias, um processo de impressão fotográfica em tons azuis. Aninat exibe cinquenta exemplares numerados e assinados com transcrições de entrevistas realizadas nas cozinhas que cercam a Praça de Armas, situada no centro da cidade de Santiago.

Já a Edições Sesc lança uma biografia de Tarsila do Amaral. A professora e ensaísta Nádia Batella Gotlib recria a trajetória libertária da artista e detalha seu empenho e resistência em prol de uma diversidade artística e afetiva-pessoal. O lançamento de Tarsila, a modernista contará com a presença da autora.

Família Editions apresenta Não me lembro bem, publicação do artista Ivan Grilo, e Anotações visuais, de Dalton Paula – ambos estarão presentes para sessões de assinatura durante o Festival. Já a Fotô Editorial promove o lançamento de publicações de Lucia Mindlin Loeb, Ana Lucia MarizSheila Oliveira e Salete Goldfinger.

Destaque ainda para livros de artistas como Caio Reisewitz, Gabriel WickboldLetícia Lampert e Marcelo Amorim. Quer conferir todos os lançamentos que vão rolar na SP-Arte? Confira no site da Feira.

Anish Kapoor,Mirror (Grey), 2017. Aço inoxidável e laca, 159 x 159 x 24 cm. © Anish Kapoor; cortesia Lisson Gallery.

Serviço
15ª edição da SP-Arte
Datas abertas ao público: Dias 4 a 6 de abril (quinta-feira a sábado), das 13h às 21h. Dia 7 de abril (domingo), de 11h às 19h.
Local: Pavilhão da Bienal | Parque Ibirapuera, Portão 3 - São Paulo.
Entrada: R$ 50,00 (geral) e R$ 20,00 (meia promocional para estudantes, portadores de deficiência e idosos com mais de sessenta anos - é necessária a apresentação de documento). O Vale-Cultura poderá ser utilizado para o abatimento de 50% do valor do ingresso. Crianças de até dez anos não pagam entrada. A bilheteria encerra suas atividades trinta minutos antes do término do evento.