Notícias

Voltar

Mostras de artes visuais e atividades culturais para conferir durante a semana

Confira a seleção do InfoArtSP com as melhores exposições de artes visuais que acontecem em São Paulo esta semana. 

Como de costume, a cidade de São Paulo e seus inúmeros acontecimentos não param nem sequer um segundo. Com o circuito de artes da cidade não seria diferente. Entre terça e quinta-feira (13 e 15 de março), cinco diferentes instituições inauguram oito mostras de artes visuais na cidade. Os temas, suportes e técnicas variam; vão da fotografia e da hiperfotografia até as esculturas de artistas contemporâneos consagrados - e outros mais jovens -, passando por discussões que abordam a música brasileira e jamaicana.

Além das estreias de exposições, a cidade abriga também algumas atividades culturais gratuitas voltadas ao público durante a semana. O Centro Cultural São Paulo, por exemplo, recebe o debate "O grafite no mundo da arte", na quarta-feira (14/3), com a participação do fotógrafo francês Jean-François Rauzier e do paulistano Speto, considerado hoje um dos principais nomes do grafite do país. O intuito da conversa é apresentar o trabalho do fotógrafo - que inaugura sua mostra "Hiperfoto - Brasil" no dia seguinte no CCSP - e discutir o posicionamento da arte urbana no meio cultural.

Na sexta-feira (16/3), às 10h30, celebrando a parceria do Sesc São Paulo com a Central Saint Martins, University of the Arts London - referência mundial em arte e design -, o Sesc 24 de Maio sedia a mesa de debate "As Ironias da Arquitetura: o Arquiteto como Cidadão", com as presenças de Jeremy Till, Paulo Mendes da Rocha e Raquel Rolnik. Essa é a primeira de uma série de atividades que discutem as linguagens da arquitetura, design e performance durante o mês de março na unidade.

E vão até quinta-feira (15/3) as inscrições para a oficina “Como é o desenho do som?”, promovida pelo IMS Paulista no próximo domingo (18/3), das 11h às 13h. Na oficina o público será convidado a explorar as conexões entre forma e som em uma visita guiada à exposição "Anri Sala: o momento presente". Em um primeiro momento, o público será incentivado a analisar os sons e silêncios presentes nas obras do artista albanês. Em seguida, o grupo realizará em conjunto uma apresentação musical, inspirada em desenhos e registros feitos pelos participantes.

Confira a seguir as exposições que o InfoArtSP selecionou para visitar durante a semana em São Paulo:

ABERTURAS

EMBLEMA DA CULTURA BRASILEIRA – RETROSPECTIVA DA OBRA GRÁFICA
ARTISTAS: CLAUDIO TOZZI
CURADORIA: MANUEL NEVES
DE 13/3 A 20/5
CAIXA CULTURAL

A mais completa exposição já realizada sobre a produção gráfica de Claudio Tozzi reúne 93 obras produzidas pelo artista entre 1968 e 2018, apresentando uma visão panorâmica do trabalho deste artista fundamental na cena contemporânea brasileira. As imagens reunidas na exposição englobam a produção de Tozzi em suas diversas fases: multidões, bandido da luz vermelha, astronautas, parafusos, cor pigmento luz, recortes e territórios – esta última, a fase mais recente. A CAIXA Cultural apresenta também, a partir do mesmo dia, outras três exposições em seu espaço: "Anna Bella Geiger - Gavetas de Memórias", outra importante artista plástica brasileira contemporânea; "Pelos Ares: 15.042 Km de Brasil", com fotografias e vídeos aéreos de um dos mais importantes expedicionários de paramotor do mundo, Lu Marini; e "Tom Zé 80 Anos", que celebra oito décadas de vida do cantor e compositor tropicalista. Saiba mais.

Claudio Tozzi, Multidão, 1972. Serigrafia sobre papel, 61 cm x 84,5 cm. (Divulgação)

JAMAICA, JAMAICA!
ARTISTA: VÁRIOS
CURADORIA: SÉBASTIEN CARAYOL
DE 14/3 A 26/8
SESC 24 DE MAIO

A mostra apresenta um panorama cronológico e histórico sobre a música jamaicana, traçando um olhar político, social e cultural da ilha caribenha. Dessa forma, busca reconhecer parte da história por meio do olhar para os conflitos e encontros pós-coloniais que levaram a um movimento musical único e universal. Para ilustrar a diversidade e patrimônio, a mostra reúne fotografias, capas de álbuns, instrumentos musicais, folhetos, materiais gráficos das festas de rua, documentos, áudios e imagens de coleções particulares e instituições. A influência dos ritmos jamaicanos na música brasileira também é tema de um dos oito núcleos que compõem a exposição. Saiba mais.

Gregory Isaacs (Divulgação)

HIPERFOTO - BRASIL
ARTISTA: JEAN-FRANÇOIS RAUZIER
CURADORIA: MARC POTTIER
DE 15/3 A 6/5
CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

As obras coloridas e ricas em detalhes do francês deixam o observador em dúvida: são pinturas ou fotografia? Real ou virtual? Ao mesclar fotografia e manipulação digital para criar novas imagens, com tons surrealistas, o artista chegou à técnica batizada como hiperfotografia - em referência ao termo hiper-realismo adotado pelo psicanalista francês Jacques Lacan. Após ter passado pelas cidades do Rio de Janeiro, Brasília e Salvador, o projeto chega à capital paulista com cerca de 100 trabalhos, entre hiperfotos e hipervídeos – parte deles ainda inéditos, recriações de uma série de espaços da cidade de São Paulo.  Saiba mais.

Jean-François Rauzier, Arte Rua SP 3, São Paulo, 2017. (Divulgação)

VÉIO – A IMAGINAÇÃO DA MADEIRA
ARTISTA: CÍCERO "VÉIO" ALVES DOS SANTOS
CURADORIA: AGNALDO FARIAS E CARLOS AUGUSTO CALIL
DE 14/3 A 13/5
ITAÚ CULTURAL

Realizadas com madeira morta, restos de árvore que ele recolhe nos arredores do sítio onde vive, em Sergipe, as obras do artista contemporâneo Véio são criações abstratas, inesperadas, com formas que se assemelham a cachorros, cobras, pássaros, pessoas e outros seres imaginários e figuras endiabradas, integrantes da cultura do sertão nordestino. Ocupando 3 andares do espaço expositivo, a mostra apresenta obras em dimensões variadas, que podem não ultrapassar alguns milímetros ou chegar a mais de 2 metros de altura. Saiba mais.

Véio, detalhe da obra Sem Título, da série Os cão do Meu Inferno, sem data - Coleção Diógenes Paixão. 15 x 11 x 5 cm (Foto: André Seiti / Itaú Cultural)

ARTE ATUAL 2018 - FRATURA
ARTISTAS: ADRIANO COSTA, ARJAN MARTINS E JULIANA CERQUEIRA LEITE
CURADORIA: PAULO MIYADA
DE 15/3 A 6/5
INSTITUTO TOMIE OHTAKE

Para a primeira mostra do programa Arte Atual realizada em 2018, o Núcleo de Pesquisa e Curadoria do Instituto Tomie Ohtake, coordenado por Paulo Miyada, convidou os artistas Adriano Costa, Arjan Martins e Juliana Cerqueira Leite para pensarem - e questionarem - as urgências do tempo presente e seu apego à própria descartabilidade. “Em uma época que resiste a planejar seu futuro ou a conhecer seu passado, talvez seja o momento de questionar a fugacidade do que se propaga ao redor: e se nada – nenhum produto, nenhum corpo, nenhuma história – for tratado como descartável? ”, analisa o curador. Saiba mais.

Arjan Martins, Sem título, 2013. Acrílica e óleo sobre tela, 195 x 185 cm (Foto: Pedro Agilson)

EM CARTAZ

TENSÃO
ARTISTA: ERWIN OLAF
CURADORIA: TALITA VIRGÍNIA E CRISTIANE DE ALMEIDA
ATÉ 8/4
MIS - MUSEU DA IMAGEM E DO SOM

A primeira exposição individual do holandês no Brasil apresenta 22 fotos e sete videoinstalações produzidas por Olaf nos últimos quinze anos. O trabalho do artista procura observar e expor traços essenciais da vida contemporânea, como o isolamento e a solidão, as barreiras de comunicação que separam os indivíduos, a busca frustrada por prazer, o embate de desejos, a velocidade da passagem do tempo e os padrões impostos pela publicidade e pela indústria da moda. Saiba mais.

Erwin Olaf, Tryptic – I Wish, I Am, I Will Be (Crédito: Erwin Olaf - Cortesia Baró Galeria)

IMAGENS DO ALEIJADINHO
ARTISTA: ANTÔNIO FRANCISCO LISBOA E OUTROS
CURADORIA: RODRIGO MOURA
ATÉ 10/5
MASP - MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO ASSIS CHATEAUBRIAND

Além das cerca de 50 obras devocionais de Antônio Francisco Lisboa (1738-1814) expostas no MASP, estão reunidas também mapas, gravuras, fotografias, pinturas e esculturas de viajantes e outros artistas, que ajudam a compreender o contexto e a influência do artista mineiro - importante figura e referência da arte sacra, do barroco e do rococó no país - na história da arte brasileira. As obras obras retratam hábitos religiosos e culturais da sociedade mineira durante o período colonial, entre eles, a religiosidade popular e as separações raciais em torno das diferentes irmandades e ordens terceiras. O MASP apresenta também a mostra simultânea "Maria Auxiliadora: vida cotidiana pintura e resistência". Saiba mais.

Aleijadinho, São Simão Stock. Madeira dourada, prateada e policromada, 161 x 82 x 57 cm. Igreja Nossa Senhora do Carmo, Sabará, MG. (Foto: Daniel Mansur)

Essas e outras exposições em cartaz em São Paulo você pode conferir quando quiser na Agenda do InfoArtSP. Perdeu as aberturas da última semana? Confira aqui.