Notícias

Voltar

Morre aos 90 anos François Morellet, artista francês precursor da arte geométrica

Tido como um dos mais importantes artistas da abstração geométrica e um dos mais conhecidos e influentes da arte contemporânea francesa, François Morellet (1926) faleceu na noite do dia 10 de maio de 2016, em Chelot, França, onde passou toda a vida, logo após comemorar seu aniversário de 90 anos no último dia 30 de abril. A causa da morte não foi revelada.

Além de uma mostra individual recém inaugurada na Dan Galeria, em São Paulo - onde estão reunidos importantes trabalhos de Morellet dos anos 60 e 70 -, o artista esbanjava ainda outras quatro mostras individuais em sua homenagem acontecendo simultaneamente - na Mayor Gallery e na Annely Juda Fine Art, em Londres; uma quarta, na galeria m., em Bochum, na Alemanha; e, por fim, na Art Affairs, em Amsterdã.

Tendo iniciado com a pintura na adolescência, François foi influenciado por vanguardas construtivas que logo o levariam a abandonar o tradicional figurativismo para se voltar para a abstração, técnica onde passou a ser reconhecido e reverenciado.

Em 1961, ao lado de outros artistas como Julio Le Parc, Morellet fundou o Groupe de Recherche d'Art Visuel, o Grav, grupo de artistas cinétcos atuantes nos anos 60 que explorou as possibilidades das artes visuais de modo científico e experimental.

No Brasil viveu como carioca ao lado da mulher por um ano, enquanto fugia da Guerra da Coreia, que temia se espalhar para a Europa naqueles idos anos 1950, mas logo retornariam à França. Durante seu período no Rio de Janeiro, conheceu e manteve contato com colegas como Ivan Serpa, Abraham Palatnik, Rubem Valentim e o crítico Mário Pedrosa, nomes que o próprio Morellet reconhecia terem sido fundamentais para nortear seu trabalho em direção ao abstracionismo.

François Morellet (ArtNet News)

Receba o e-book do projeto de Conservação de Esculturas em Espaços Públicos