Notícias

Voltar

Dicas de exposições para o final de semana

Mais um final de semana chegando e o InfoArtSP selecionou para os leitores as principais exposições de artes plásticas e visuais que acontecem na cidade de São Paulo. Mostras incríveis saem de cartaz no mesmo final de semana em que outras inauguram suas exibições. Como de costume, São Paulo não para nem um dia se quer.

Tanto é que no sábado (16), a partir das 11h, o artista Alê Jordão promove uma oficina de neon aberta ao público em seu ateliê. A iniciativa ocorre paralelamente à exposição "Iluminata", promovida pela Choque Cultural no mesmo espaço.

Para os leitores que estão no Rio de Janeiro durante o final de semana a pedida é a Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro, a ArtRio 2017, que acontece até o domingo (17). Realizada pela primeira vez na Marina da Glória - com vista para a Baía de Guanabara e o Pão de Açúcar -, a feira oferece uma programação paralela à feira de arte que conta com debates - no novo Espaço Transversal -, intervenções urbanas no MAM-RJ e programas curados especiais.

Confira a seguir as principais exposições para o final de semana:

Mesmo com dias maiores que o normal
Artista: Rodrigo Sassi
A partir de 16/9
Centro Cultural São Paulo

A relação entre arte e cidade se condensa e se confunde na produção de Sassi, marcada pelo desenvolvimento e pela prática de poéticas visuais que permeiam o cenário urbano, a arquitetura e a construção civil. Nesta instalação criada pelo artista especialmente para o espaço, o objetivo da obra é criar releituras de concreto armado com um sistema de auto-iluminação. O movimento das curvas e a iluminação formam um jogo de luzes e sombras que desenham o espaço e dão forma e volume ao conjunto escultórico. Saiba mais.

Rodrigo Sassi

Rotorama
Artista: Daniel Acosta
Curadoria: Valéria Piccoli
A partir de 16/9
Pinacoteca do Estado de São Paulo

Uma plataforma redonda de madeira com oito metros de diâmetro e dez centímetros de altura que vai girar muito lentamente ao redor do seu próprio eixo, desenvolvida por Daniel Acosta, é o próximo trabalho a ocupar o Octógono da Pinacoteca. Sem qualquer atrativo, além da possibilidade de “subir” na obra, a atenção se volta toda para o público. “São os visitantes que conferem volume ao trabalho. A proposta do Daniel não é criar uma peça para ser colocada no Octógono, mas um dispositivo para que o próprio público seja protagonista do trabalho. Além disso, há a surpresa, para quem olha de cima, de uma espécie de poema visual que se forma a partir de grafismos na plataforma”, explica Valéria Piccoli, curadora-chefe da Pina. Saiba mais.

Daniel Acosta - Rotorama

Still Life
Artista: Adriana Rocha
Curadoria: Lourdina Jean Rabieh
A partir de 16/9
Galeria Rabieh

Refletindo a intensidade da alta velocidade com que tudo é descartado e substituído, a artista plástica Adriana Rocha inaugura individual onde apresenta pinturas e objetos que tratam de memórias, silêncio e contemplação. Rocha buscou justamente um movimento contrário aos tempos contemporâneos, resultando na nova série Still Life, criando pinturas que podem ser vistas como reescrituras, onde as imagens se traduzem com colagens. A exposição é resultado da experiência vivenciada em uma comunidade da periferia de São Paulo, da passagem do tempo e desgaste de lugares onde o tempo parece ser eterno, paisagens imutáveis, utópicas em sua beleza e silêncio. Saiba mais.

Adriana Rocha - Série Still Life. Acrílica sobre tela, 2017, 130x180 cm

Frauenpower
Artista: Vários
A partir de 16/9
Galeria Houssein Jarouche

"Frauenpower", expressão alemã utilizada para designar o poder feminino, define de maneira certeira o trabalho da artista Pop Kiki Kogelnik, austríaca radicada em Nova York. A pesquisa sobre a sua produção, mais especificamente a série Woman da década de 1970, é o alicerce desta exposição coletiva. O ponto fundamental destes trabalhos é a imagem feminina; ora frágil, ora sexualizada, conforme retratada na publicidade da época. A partir disso, reconhecendo a arte como veículo de significação e comunicação visual, pretende-se investigar a imagem da mulher retratada, e a mídia como influenciadora da construção de um imaginário do corpo feminino. A mostra tem como foco resgatar um percurso histórico das representações visuais da mulher a partir das vanguardas da década de 1960. Saiba mais.

Alex Katz- Ulla in black hat, 2010. Impressão em tela em 33 cores, 28,5x40cm.

Expedição ao deserto
Artista: Geórgia Kyriakakis
Até 17/9
Instituto Tomie Ohtake

Últimos dias para conferir a série fotográfica “Expedição ao Deserto”, que traz 27 imagens de Geórgia Kyriakakis resultadas de experiências imersivas da artista na cidade de São Paulo. No projeto, a artista visita e fotografa áreas movimentadas da cidade quando estão totalmente desertas em virtude de feriados, campeonatos esportivos, tensões políticas, entre outras razões. Suas expedições consistem em estar onde ninguém está ou não estar onde todos estão, registrando uma situação singular de tempo e espaço na qual a paisagem e as características da cidade são transformadas radicalmente. Saiba mais.

Geórgia Kyriakakis - Onde Ninguém Está, Exposição ao Deserto

Metrópole: Experiência paulistana
Artista: Vários
Curadoria: Tadeu Chiarelli
Até 18/9
Estação Pinacoteca

A mostra apresenta cerca de 80 obras, entre instalações, pinturas, fotografias, vídeos e obras em outros meios - trabalhos contemporâneos em sua maioria -, resultantes da experiência de 33 artistas que residem ou residiram na capital paulista. Embora com maior concentração de obras nas salas do segundo andar, eles ocupam todo o edifício da Pina Estação, usado nesta mostra como metáfora da cidade de São Paulo. Alguns dos artistas com obras expostas são Sidney Amaral, Victor Brecheret, Leda Catunda, Flávio Cerqueira, Lia Chaia, Carmela Gross, Evandro Carlos Jardim, Jaime Lauriano, Nazareth Pacheco, Florian Raiss, Gustavo Von Ha, Chico Zelesnikar, entre outros artistas paulistanos, que vivem ou viveram na cidade e que colocam em pauta a “experiência paulistana”. Saiba mais.

Flávio Cerqueira (Foto: Rômulo Fialdini)

Wanda Pimentel: Envolvimentos
Artista: Wanda Pimentel
Curadoria: Adriano Pedrosa e Camila Bechelany
Até 17/9
MASP

A mostra concentra-se na série Envolvimento, produção icônica de Wanda Pimentel. O foco da exposição, que exibe cerca de 30 pinturas vindas de coleções institucionais e privadas, é nos anos 1967-69, seu período mais prolífico. As obras, cujas cenas são de cores chapadas e vibrantes, retratam fragmentos do corpo feminino em meio a objetos do cotidiano, como eletrodomésticos, móveis e utensílios. Ao converter os objetos em signos gráficos, Pimentel dialoga sobre a desatenção mecânica do indivíduo em relação a esses objetos, uma vez que, ao naturalizar a presença das coisas em seu entorno, perde sua própria referência humana, se tornando também objeto. Essa relação revela, no trabalho da artista, uma crítica à sociedade de consumo e ao período de intensa repressão sexual e de ideias no contexto da ditadura militar no país. Saiba mais.

Wanda Pimentel, Série Envolvimento

Não escondido mas despercebido
Artista: Iran do Espírito Santo
Até 16/9
Galeria Fortes D'aloia & Gabriel

"Não escondido, mas despercebido" apresenta doze trabalhos inéditos de Iran do Espírito Santo. A série realizada com lápis e guache sobre fotogramas, representa objetos de uso cotidiano em formas concisas. Fechadura, cartão de crédito, tomada e lâmina de estilete são alguns deles, a maioria reproduzida em escala real. Nesta nova série, o desenho - prática constante na carreira do artista, influenciando inclusive suas esculturas e instalações de grande escala - se une a fotografia - que por sua vez, remete à sua experiência como assistente de laboratório, ainda na adolescência - dando continuidade a ambos os exercícios, ao mesmo tempo em que lhes oferece novas narrativas. Saiba mais.

Iran do Espírito Santo - Fechadura II, 2017. Lápis sobre fotograma 49 x 49 cm. (Foto: Eduardo Ortega / Fortes D’Aloia & Gabriel)

Raphael Galvez
Artista: Raphael Galvez
Até 16/9
Almeida & Dale Galeria de Arte

O pintor, escultor e desenhista Raphael Galvez - artista pouco conhecido pelo grande público, apesar do seu reconhecimento por toda crítica - é um importante artista da segunda geração do modernismo brasileiro, ao lado de figuras como Alfredo Volpi e Mario Zanini. A mostra beneficiente apresenta 60 obras - 40 pinturas e 20 desenhos - do artista doadas pelo colecionador Orandi Momesso. Os recursos arrecadados serão destinados ao Médico Sem Fronteiras, organização internacional sem fins lucrativos, que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias pelos quatro cantos do mundo. Saiba mais.

Raphael Galvez - Nu reclinado I, 1935, grafite sobre papel, 11,7x15,5cm

Essas e muitas outras exposições você pode conferir na agenda do InfoArtSP quando quiser! Perdeu a programação da semana? Confira aqui.