AGENDA DAS ARTES

Voltar

Reunião

Artistas: Celina Portella

Curadoria: Daniela Labra

De 15/1 a 31/3

Caixa Cultural Ver mapa

Endereço: Praça da Sé, 111 - Centro

Telefone: (11) 3321-4400

CAIXA Cultural São Paulo exibe, entre os dias 15 de janeiro e 31 de março de 2019, a mostra individual “Reunião”, de Celina Portella. A mostra tem curadoria de Daniela Labra e apresenta uma seleção de vídeos e fotografias dos últimos 10 anos da artista, evidenciando a forma original e inusitada como ela vem operando no ambíguo campo chamado multimídia. A entrada é livre e gratuita. No mesmo período, a CAIXA Cultural SP apresenta também outras duas exposições: “Rugendas, um cronista viajante” e "Navio de Emigrantes", de Leila Danziger.

Celina Portella, frame de Deságua na cachoeira, 2014. Tríptico de vídeos Deságua (2014). Divulgação.

Dentre o conjunto de obras que serão apresentadas, estão em destaque a videoinstalação Derrube (2009), em que Celina interage com seu duplo em escala real, e o tríptico de vídeos Deságua (2014). A série Quadros Cortados (2015), com fotografias do corpo emolduradas em formatos irregulares, por sua vez, adentra o campo da escultura. Já nas fotografias da série Dobras (2017), cujo tema, entre outras coisas, aborda as articulações do corpo, a artista estabelece relações formais com o espaço expositivo, tomando partido da arquitetura da sala para sua instalação. Na série Puxa (2015–2016), Celina também extrapola o campo visual da moldura ou o limite visual determinado por ela, criando tensão entre as cordas representadas nas fotografias e aquelas que, de fato, ocupam o espaço real e se conectam materialmente ao espaço. Na foto-instalação Fotonovela da opressão (2018), Celina parte da experimentação e interação entre pintura e imagem para criar uma narrativa com seis fotografias em que sua retórica corporal parece reagir ao avanço da tinta sobre o vidro dos quadros.

Segundo Daniela Labra, Celina cria roteiros para o corpo nos espaços e tempos inventados por si mesma, procedimento relacionado ao âmbito da dança, meio por onde ainda transita. Para a curadora, as ideias da artista se materializam nas galerias de arte e museus numa pesquisa híbrida, sendo esta exposição uma grande oportunidade para adentrarmos em seu universo de diversas narrativas ficcionais feitas de imagem, movimento, objetualidade, gesto e performance.

Celina Portella, frame de Deságua de beber, 2014. Tríptico de vídeos Deságua (2014). Divulgação.

“Embora as maiores referências da Celina venham de situações observadas na rua e da vivência coreográfica, sua pesquisa se aproxima à de artistas conceituais e performáticos como Bruce Nauman e Dan Graham, que experimentaram o esgarçamento e sobreposição do tempo e imagem na vídeoarte dos anos 1960-70”, escreve Daniela Labra em texto de apresentação da mostra.

Sobre a artista
Celina é carioca e vive atualmente em São Paulo. Estudou design na PUC-Rio e se formou em artes plásticas na Université Paris VIII. Celina permeia o universo das artes plásticas e da dança, estabelecendo diálogos entre arquitetura, cinema, performance e ultimamente escultura. Utilizando frequentemente o próprio corpo como objeto de experimentações, caracteriza sua pesquisa nos campos da representação do corpo e sua relação com o espaço. A artista combina práticas quase artesanais em vídeos e fotografias que desafiam características de cada suporte e a percepção por parte do observador.

Celina Portella, Derrube, 2009. Video-instalação. Foto: Rodrigo Braga.

Serviço
Exposição: “Reunião", mostra individual de Celina Portella com curadoria de Daniela Labra.
Datas e horários: Abertura dia 15 de janeiro, terça-feira, às 19h (visita guiada com a artista). Em cartaz até 31 de março de 2019. De terça-feira a domingo, das 9h às 19h.
Local: CAIXA Cultural São Paulo | Praça da Sé, 111 – Centro, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.