AGENDA DAS ARTES

Voltar

Para ver sem pressa

Artistas: Lily Sverner

Curadoria: Rubens Fernandes Junior

de 6/8 a 8/10

Fass Ver mapa

Endereço: Rua Rodésia, 26 - Vila Madalena

Telefone: (11) 3037-7349

Celebrando 30 anos de atividades fotográficas, uma seleção de cerca de 25 fotografias em preto e branco deixa emergir o olhar documental bastante particular da fotógrafa belga radicada no Brasil, Lily Sverner, possibilitando diversas interpretações de uma obra enigmática, registro do que surge e desaparece na incrível velocidade do cotidiano.


Renascimento, 1992. Gelatina e prata.

A exposição Para ver sem pressa, de Lily Sverner, apresenta fotografias realizadas entre os anos 1980 e meados da primeira década deste milênio, em diferentes dias e diversos territórios. No conjunto, deparamo-nos com algo recorrente: a interrupção de uma ação em determinado instante que, não fosse a fotografia, seria quase imperceptível a olho nu.

A fotografia de Lily Sverner tem o desejo de se eternizar numa fotografia, como analisa o curador da mostra, o pesquisador da fotografia Rubens Fernandes Junior. Pode parecer redundante, mas segundo ele, são poucos os que conseguem ter tranquilidade para criar imagens que tenham essa singularidade. “Ela não tem a intenção de registrar um tempo puro, mas, como lembra Octávio Paz, apenas o tempo que traduzimos como “a iminência imediata do agora”. E isso me parece essencial nestas fotografias”, conclui.

Lá no Fundo, 1992 - Gelatina e prata.

Lily Sverner começou a fotografar numa fase de sua vida em que sua situação familiar modificou-se e, reconhecendo a necessidade de uma dimensão mais criativa para sua existência, adquiriu uma câmera e foi aprender a fotografar. Tornou-se cada vez mais absorvida pela atividade não só produzindo suas imagens, mas também expondo e publicando o trabalho de outros fotógrafos.

“Cada uma das suas fotografias parece muito mais com um fluxo contínuo de lembranças vividas com intensidade. Seu olhar apurado atravessa o cotidiano dos homens e evidencia seu desejo de transformar aquele momento de intensa cumplicidade numa fotografia.”, comenta o curador. Para Lily Sverner, nascida em Antuérpia e radicada no Brasil desde 1941, a fotografia se tornou uma fantástica ferramenta para exaltar o amor pela investigação e pelas idiossincrasias da atividade humana, com a receptividade do viajante que penetra num país estranho.

Assim, parece inevitável recorrer a Marcel Proust, que no clássico O tempo redescoberto lembra que “uma imagem oferecida pela vida nos traz de fato, num momento, sensações múltiplas e diversas. (...) Uma hora não é apenas uma hora, é um vaso repleto de perfumes, de sons, de projetos e de climas. O que chamamos realidade é uma determinada relação entre sensações e lembranças a nos envolverem simultaneamente.”

Amazonas, Alto Tapajós, Pará, 1992. Gelatina e prata.

Sobre a artista:
Lily Sverner nasceu na Antuérpia (Bélgica) e vive no Brasil (Rio de Janeiro e São Paulo) desde 1941. Formou-se em Artes Decorativas no Instituto Nacional das Artes (RJ) e pela Escola Enfoco de Fotografia (SP). Fez estágio no International Center of Photography, de Nova York, em 1985. Entre 1987 e 1991, com André Boccato, dedicou-se à edição de livros através da Sver e Boccato Editores, primeira editora exclusivamente dedicada à edição de livros de fotografia no Brasil, publicando Nair Benedicto, David Drew Zingg, J.R. Duran, Sebastião Salgado, entre outros. Dedicou-se em paralelo a uma carreira como fotógrafa, que a levou a realizar seis exposições individuais e a ter seu trabalho incluído em diversas coletivas e no acervo de prestigiosas instituições internacionais como Coleção Pirelli-Masp, Kusthaus Zurich, Maison Française, New York University, Instituto Moreira Salles, Fototeca de Cuba, entre outras. Publicou os livros Fragmentos de uma paisagem urbana, em 1989, Virtudes da Realidade, em 1995, e Recortes do Olhar, em 2009.

A falecida, 1998. Gelatina e prata.

Serviço
Exposição: Para Ver Sem Pressa.
Coquetel de abertura: Sábado, 06 de agosto, das 11 às 15h
Confira horario de funcionamento.