AGENDA DAS ARTES

Voltar

O voo e o ovo

Artistas: Laura Vinci, Guilherme Wisnik, Marina Wisnik e José Miguel Wisnik

Curadoria: -

De 15/4 a 8/5

Sesc Pompeia Ver mapa

Endereço: Rua Clélia, 93, Pompeia

Telefone: (11)3871-7700

José Miguel Wisnik, professor de literatura, escritor, compositor, cantor e pianista, Marina Wisnik, professora, compositora, cantora, atriz e poeta, Guilherme Wisnik, professor de história da arte, crítico de arquitetura e compositor, lançando-se agora como intérprete, Laura Vinci, artista plástica, cenógrafa e diretora de arte. Juntos, eles comandam uma temporada de atividades interligadas por colaborações recíprocas, todas inspiradas pelo tema “O OVO E O VOO”, título de um palíndromo de Marina. Com shows, exposição, oficina de poesia e encontros sobre arte, arquitetura, música e literatura, a ocupação acontece no Teatro do Sesc Pompeia a partir de 15 de abril. O programa acontece até 8 de maio de 2016 e tem entrada gratuita.

Laura Vinci, Guilherme Wisnik, Marina Wisnik e José Miguel Wisnik (© Renato Mangolin)

O projeto tem como objetivo a discussão das relações entre interioridade e exterioridade, espaço íntimo e espaço público, introversão e extroversão, reclusão e abertura, concentração e irradiação, envolvidas nos atos criativos. A intervenção abre espaço para as trocas e experiências coletivas e para os voos das intervenções públicas, mas sem perder sua conformação original de ovo – o espaço doméstico e familiar.

Marina Wisnik desenvolve uma oficina de criação poética e corpo. Guilherme apresenta uma visão da arquitetura moderna e contemporânea, em que se problematizam a interioridade e a exterioridade das edificações, bem como as relações complexas do espaço público e do espaço privado. José Miguel Wisnik dialoga com essas intervenções estabelecendo contrapontos literários e musicais com as questões tratadas nas duas outras atividades. Laura Vinci expõe seu trabalho em arte e cenografia no hall do Teatro e assina a cenografia do show.

Programação
O OVO E O VOO – Exposição: arte e teatro (De 15/04 a 08/05. Hall do Teatro).
Laura Vinci expõe fotos que evidenciam o diálogo entre artes plásticas e artes cênicas em seu trabalho, explorando zonas de permeabilidade entre esses campos. Em meio às imagens em preto e branco, que ocuparão todo o painel do hall do Teatro, estarão cinco telas de TV para exibição contínua de vídeos integrados, editados especialmente para o evento, onde tanto instalações como cenografias poderão ser vistas em movimento no espaço. Obras apresentadas em bienais e diferentes instituições no Brasil e no exterior estarão relacionadas com situações cênicas concebidas para o Teatro Oficina, a mundana companhia, o Teatro da Vertigem e o monólogo .

O OVO E O VOO – Oficina: palavra e corpo (Dias 19 e 20/04. Terça e quarta, às 17h).
A oficina de poesia e corpo, ministrada por Marina Wisnik, com participação de José Miguel Wisnik e Guilherme Wisnik, sensibiliza para a criação poética, transitando entre a análise textual e a experimentação sensorial como estímulo para a criação. O participante deverá ampliar seu repertório através da observação dos elementos constitutivos do gênero literário, aventurando-se na produção de poemas e refletindo coletivamente sobre as produções realizadas no grupo. Será, ao longo do processo, estimulado a resgatar sua memória e presença corporal e a utilizar como material para produção e fruição dos textos.

O OVO E O VOO – Encontro 1: arquitetura, arte, cidade (Dia 19/04. Terça, às 20h).
Encontro ilustrado de Guilherme Wisnik com participação de José Miguel Wisnik e Marina Wisnik. A crítica moderna apontou uma forte tendência ao informalismo, à dissolvência, ao útero, ao ninho e ao ovo, na arte brasileira, que deveria ser rompida criticamente por uma concepção construtiva da forma. Ao fazê-lo, no entanto, adotando o concretismo e o neoconcretismo, Hélio Oiticica e Lygia Clark “regridem” à esfera da afetividade interpessoal, na passagem dos anos 1960 aos 1970, como se, ao quebrar a casca, voltassem paradoxalmente ao ovo, e do público ao íntimo e ao privado. No mesmo período os arquitetos de São Paulo pós-Brasília, como Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha, querem transformar o espaço doméstico em cidade, projetando casas de concreto onde o chão da sala é feito de asfalto. Na inconsistência crônica da esfera pública, no Brasil, o trânsito entre o público e o privado, numa espécie de fita de Moebius permanente, faz com que essas figuras revolucionárias de artistas e arquitetos tratem sintomaticamente as mesmas questões por caminhos opostos. A novidade é que os tempos atuais estão trazendo a consciência pública para o embate nos espaços da cidade: jornadas de junho, Parque Minhocão, Parque Augusta, Praça Roosevelt, Largo da Batata, Ocupe Estelita (Recife). As cidades rebeldes estão na ordem do dia.

O OVO E O VOO – Encontro 2: literatura e canção (Dia 20/04. Quarta, às 20h).
Encontro ilustrado de José Miguel Wisnik, com participação de Marina Wisnik e Guilherme Wisnik. José Miguel comenta as relações da temática tratada por Guilherme, abordando textos de Clarice Lispector sobre Brasília, de João Cabral sobre arquitetura, de Ferreira Gullar sobre Oscar Niemeyer, bem como relações entre Niemeyer e Tom Jobim, Brasília e Tropicália.

O OVO E O VOO – Shows (22/04, sexta, às 21h | 23/04, sábado, às 21h | 24/04, domingo, às 19h).
Show de José Miguel Wisnik, Marina Wisnik e Guilherme Wisnik, com canções autorais e parcerias, em torno do mote dado pelo palíndromo que guia todo o evento. É a estreia de Guilherme no palco e o trio será acompanhado por Alexandre Fontanetti (violão/guitarra), Sérgio Reze (bateria) e Swami Jr (violão), que dirigiu recentemente o show da turnê mundial de Buena Vista Social Club. No repertório, estão canções inéditas como “Roma” e “Rebarbas” (Marina Wisnik e José Miguel Wisnik), “Iara” (José Miguel Wisnik) e “O Jequitibá” (José Miguel Wisnik e Carlos Rennó). Também serão interpretadas “Passatempo” (Guilherme Wisnik e André Stolarski), “Rever” (Marina Wisnik), “A Serpente” e “DNA” (José Miguel Wisnik) e “Marchinha da Família” (José Miguel Wisnik com Ana Tatit e Zé Tatit). O figurino do show é assinado por Iara Wisnik. A cenografia e direção de arte são de Laura Vinci.

“O OVO E O VOO” – JOSÉ MIGUEL WISNIK, MARINA WISNIK, GUILHERME WISNIK E LAURA VINCI (De 15 de abril a 08 de maio, no Teatro*).
Exposição: arte e teatro (De 15/04 a 08/05. Hall do Teatro).

Oficina: palavra e corpo
Dias  19 e 20/04. Terça e quarta, às 17h.
Grátis | retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Encontro 1: arquitetura, arte, cidade
Dia 19/04. Terça, às 20h.
Grátis. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Encontro 2: literatura e canção
Dia 20/04. Quarta, às 20h.
Grátis. Retirada de ingressos com 1 hora de antecedência.

Shows
Dias 22/04, sexta, às 21h; 23/04, sábado, às 21h e 24/04, domingo, às 19h.
Ingressos: R$ 9 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$ 15 (credenciado*/usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$ 30 (inteira).

A mostra permanece em cartaz até maio de 2016. (© Renato Mangolin)

serviço
Exposição: Programa "O ovo o voo"
Datas e horários: De 15 de abril a 8 de maio de 2016. De terça a sábado, das 9h às 22h; domingos e feriados, das 9h às 20h.
Local: SESC Pompeia | Rua Clélia, 93 - Pompeia.
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos.
*O Teatro do Sesc Pompeia possui duas plateias (lados par e ímpar) e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência nas galerias, de menores de 12 anos, mesmo acompanhados dos pais ou responsáveis.