AGENDA DAS ARTES

Voltar

Navio de Emigrantes

Artistas: Leila Danziger

Curadoria: Raphael Fonseca

De 15/1 a 31/3

Caixa Cultural Ver mapa

Endereço: Praça da Sé, 111 - Centro

Telefone: (11) 3321-4400

Em cartaz na CAIXA Cultural São Paulo entre os dias 15 de janeiro e 31 de março de 2019, a exposição "Navio de Emigrantes", de Leila Danziger, convida o visitante a uma experiência expandida do espaço do arquivo e tem como ponto de partida memórias da família da artista, ampliando-se na construção de narrativas da memória coletiva e reconfigurações geopolíticas. Com curadoria de Raphael Fonseca e produção de Anderson Eleotério, a mostra apresenta a produção mais recente de Danziger em diálogo com a obra de Lasar Segall, atestando a atualidade do artista (falecido em agosto de 1957) e prestando uma homenagem aos 60 anos de sua morte. A entrada é livre e gratuita. A CAIXA Cultural SP exibe ainda outras duas exposições temporárias no mesmo período: “Rugendas, um cronista viajante” e "Reunião", de Celina Portella.

Leila Danziger, Série 2015, 2018. Carimbo sobre jornal apagado, 36 x 56 cm. Foto: Wilton Montenegro.

Em seu processo de trabalho, Leila desenvolve ações de inscrição e apagamento, tendo a página impressa e o documento histórico no centro de sua produção artística, orientada pela interface entre arte e história desde a década de 1990. Com 25 anos de produção ininterrupta, a artista assume a escrita da história, consciente de que esta tarefa não cabe apenas ao historiador, mas também ao artista.

A mostra reúne duas grandes séries, intituladas Navio de Emigrantes e Mediterrâneo. A primeira série parte das listas de passageiros de quatro navios que chegaram ao porto do Rio de Janeiro entre 1935 e 1939, trazendo refugiados do nazismo. O levantamento dos documentos foi desencadeado por lembranças afetivas da artista (o pai e avós de Leila escaparam da Alemanha nazista a bordo do navio Aurigny). A segunda série parte de material encontrado na internet acerca daqueles que nos últimos anos tentam fugir do Oriente Médio e da África, atravessando o Mar Mediterrâneo.

“A pintura Navio de Emigrantes, de Lasar Segall (c. 1939/41, óleo s/ tela, 230 x 275 cm) que retrata a viagem de famílias ou solitários fugindo, num navio, da guerra, fome e miséria de sua terra natal, é crucial neste projeto”, destaca o curador Raphael Fonseca. “A obra, uma das referências do modernismo, orienta os dois eixos da exposição: um que diz respeito à sobrevivência, o início de uma nova vida em um novo país; e o outro à incerteza, uma vez que os refugiados retratados na pintura encontraram um navio, mas não sabemos se encontrarão um porto”, explica o curador.

Leila Danziger, Mastros cantados, 2018. Impressão jato de tinta sobre papel de algodão, 100 x 70 cm. Foto: Divulgação.

Em torno desses eixos, são apresentadas séries de imagens realizadas a partir de operações de apropriação, transferência, deslocamento e ressignificação dos documentos. Segundo a artista, “na exposição busquei construir uma cartografia sensível, a partir da memória dos sobreviventes, assim como, dos vestígios dos náufragos e desaparecidos”.

“Ao se apropriar, deslocar e ressignificar imagens e textos oriundos de arquivos de história, da história da arte e da mídia em geral, a exposição contribui decisivamente para a elaboração de novas narrativas históricas, baseadas em horizontes locais, mas pensadas a partir da nova configuração geopolítica internacional”, avalia o curador.

"Navio de Emigrantes", ao propor o cruzamento entre presente e passado, reforça a dimensão histórica dos fatos recentes e contribui para que o visitante seja especialmente sensibilizado para uma importante reflexão sobre as políticas da memória na contemporaneidade e contribui para o conhecimento da história da arte no Brasil.

A exposição apresenta um conjunto inédito de obras gráficas e vídeos construindo uma narrativa visual em que imagem e palavra (escrita e sonora) problematizam-se mutuamente. A exposição conta também com duas gravuras da série Emigrantes de Lasar Segall, reimpressas pelo Museu Lasar Segall, reforçando o diálogo da artista com a obra do modernista lituano-brasileiro.

Leila Danziger, 20 de abril de 2015, 2016. Impressão jato de tinta sobre papel de algodão, 70 x 50 cm. Foto: Divulgação.

Serviço
Exposição: “Navio de Emigrantes", de Leila Danziger com curadoria de Raphael Fonseca.
Datas e horários: Abertura dia 15 de janeiro, terça-feira, às 19h (visita guiada com a artista). Em cartaz até 31 de março de 2019. De terça-feira a domingo, das 9h às 19h.
Local: CAIXA Cultural São Paulo | Praça da Sé, 111 – Centro, São Paulo.
Entrada livre e gratuita.