AGENDA DAS ARTES

Voltar

Nádia Taquary e Ayrson Heráclito

Artistas: Nádia Taquary e Ayrson Heráclito

Curadoria: -

De 29/6 a 3/8

Galeria Leme/AD Ver mapa

Endereço: Avenida Valdemar Ferreira, 130 - Butantã

Telefone: (11) 3093-8184

A Galeria Leme/AD apresenta “Nádia Taquary e Ayrson Heráclito”, as individuais ficam em cartaz de 29 de junho a 3 de agosto e são fruto de uma parceria da galeria paulistana com a soteropolitana Paulo Darzé Galeria. A exposição reúne uma série de obras que revelam poéticas afro-brasileiras e discutem religiosidades, insurgências e disputas negras no Brasil. 


Ayrson Heraclito. Desenhos da liberdade - Carta de liberdade do escravo Luiz, Nago, 2019. Desenho a bico de pena sobre cópia de carta de alforria. Dimensões 42 x 30 cm cada (díptico). Créditos: Divulgação

Heráclito propõe em suas obras um diálogo entre Bahia e África e investiga suas relações. Para isso, o artista faz uso de matéria-prima orgânica -  como o dendê, o açúcar e o charque - e retoma signos culturais do período da colonização brasileira. Em“Sacudimentos” (2015), Heráclito faz um exorcismo, realizando rituais de cura, de monumentos associados  ao tráfico de escravos.  

Outra obra presente na mostra é a instalação “Segredos Internos” (1995/2010), na qual o  artista utiliza um barco partido ao meio para criticar o sistema econômico e social do período colonial, suas estruturas desiguais e estratificação social. Na série “Desenhos da Liberdade” (2019), Heráclito utiliza cartas de alforria para fazer intervenções em Nanquim.


Nádia Taquary .Dinka - Yemanjá, 2018. Miçangas tchecas de vidro, búzios e prata. Dimensões 153 x 20 x 10 cm. Créditos: Cortesia Paulo Darzé Galeria

Taquary investiga os saberes e fazeres das tradições de joalharias crioulas. Entre os materiais utilizados pela artista estão a madeira ouro, prata, contas, búzios, palhas e outros elementos que fazem parte da história da população negra no país, como os “Balangandãs”, objeto central em sua pesquisa.

A artista avalia que esses elementos tiveram seus significados esvaziados com o tempo, no passado simbolizavam a liberdade para mulheres negras escravizadas e hoje tem sua potência retomada por Taquary que os transformou em um conjunto afirmativo escultórico para a continuação das lutas raciais contemporâneas.

Serviço
Nádia Taquary e Ayrson Heráclito
Datas e Horários: De 29/6 a 3/8.  De Terça a Sexta das 10h às 19h. Aos Sábados das 10h às 17h
Local: Galeria Leme/AD | Av. Valdemar Ferreira, 130 - Butantã
Entrada livre e gratuita