AGENDA DAS ARTES

Voltar

Maldicidade

Artistas: Miguel Rio Branco

Curadoria: -

De 5/6 a 27/6

Galeria Luisa Strina Ver mapa

Endereço: Rua Padre João Manuel, 755 - Jardins

Telefone: (11) 3088-2471

Galeria Luisa Strina apresenta “Maldicidade” de Miguel Rio Branco. A exposição fica em cartaz de 5 a 27 de junho e reúne a série homônima que está em constante construção. A coletânea existia apenas enquanto publicação de um fotolivro, lançado em 2014 pela editora CosacNaify, e como trabalhos únicos ou polípticos de fotografias feitas ao longo dos anos da carreira internacional do artista que transitou por muitos países. A biografia do artista é extensa e passa por episódios marcantes, por ser filho de um diplomata sua vida nunca teve fronteiras geográficas. Rio Branco começou na pintura e ficou na técnica até 1960, quando passou a ser diretor de fotografia em documentários brasileiros, em seguida tornou-se membro da ilustre Magnum Photos nos anos 1980.


Miguel Rio Branco, Preto e rosa com bandeira, 1988-1992-2012. Impressão jato de tinta em papel Hahnemühle Photo Gloss Baryta 320g (díptico) Edição: 1/7. Dimensões 79 x 99 cm. Créditos: cortesia do artista e Galeria Luisa Strina

O artista já expôs suas imagens em museus como The Art Institute of Boston; Foto Forum, Frankfurt; Aperture’s Burden Gallery, NY; Maison Européenne de La Photographie, Paris; Rencontres d’Arles; Museu de Arte Contemporânea de Tóquio;  Casa América, Madri; Kulturhuset, Estocolmo; e MASP. Além disso, em Inhotim há um pavilhão destinado à sua obra.


Miguel Rio Branco,  Red Socks, 1991.  Impressão jato de tinta em papel Hahnemühle Photo Gloss Baryta 320g (díptico) Edição: 1/7. Dimensões 75 x 109 cm. Créditos: cortesia do artista e Galeria Luisa Strina

Na galeria Luisa Strina, Rio Branco apresenta 20 obras e lança também a nova edição de seu fotolivro, dessa vez publicada pela editora Taschen. Seus trabalhos revelam olhares sobre uma metrópole pulsante, seus contratantes, desigualdades e poéticas. “Meu trabalho, em uma exposição na galeria da Magnum, em Paris (1985) foi definido, meio como crítica, por um fotógrafo, Denis Stock, como se eu tentasse criar música com fotografias: talvez o maior elogio que já fizeram sobre a obra”, afirma o artista.


Miguel Rio Branco, Noturnas Sal e Mangue, 1979, 1984, 2012.. Impressão jato de tinta em papel Hahnemühle Photo Gloss Baryta 320g (políptico) Edição: 1/5 .Dimensões 79x 99 cm cada (4 peças). Créditos: cortesia do artista e Galeria Luisa Strina

Rio Branco ainda define seu trabalho como uma maré de imagens, que “criam ritmos e sentidos que desmancham uma proposta apenas de retrato da realidade”. Ele explica também que o nome “Maldicidade” é fruto de uma fusão dos termos do francês “mal d’amour’, dor de amor, e maldita cidade: “às vezes sinto repulsa e, outras, atração”, sintetiza.

Serviço
Maldicidade, de Miguel Rio Branco
Datas e horários: De 5/6 a 27/6. De segunda a sexta das 10h as 19h. Aos Sábados das 10h as 17h
Local: Galeria Luisa Strina |Rua Padre João Manuel 755
Entrada livre e gratuita