AGENDA DAS ARTES

Voltar

Luctus Lutum

Artistas: Elisa Bracher

Curadoria: Elisa Byington

De 22/8 a 24/10

Galeria Raquel Arnaud Ver mapa

Endereço: Rua Fidalga, 125 - Vila Madalena

Telefone: (11) 2368-1572

A artista plástica Elisa Bracher apresenta a exposição individual “Luctus Lutum” (luto e lama em latim), na Galeria Raquel Arnaud, de 24 de agosto a 24 de outubro, com curadoria de Elisa Byington.

A artista paulistana criará no térreo da galeria a instalação site specific “Labirinto”. A obra, feita de taipa de pilão e pesando 30 toneladas, representa o caminho do luto. "O barro, apesar de antiquado, é um elemento universal e ativa a memória do morar", define a artista. Ele aparece pela primeira vez na obra de Elisa em 2009, na exposição “Experimentando Espaços”, no Museu da Casa Brasileira.

A escultura “Pulmão”, instalada no segundo andar, foi construída nos últimos 15 dias de vida da mãe de Elisa, falecida no início desse ano. São dois infláveis que se conectam e respiram e foi feita originalmente como elemento cenográfico do longa-metragem “Pendular”, da cineasta Julia Murad. “No dia seguinte da morte de minha mãe, me dei conta que, inconscientemente, tinha criado um pulmão", conta a artista.

A terceira obra são fotos do Ártico (100 cm x 50 cm) feitas pela artista em 2014, quando participou do projeto de residência “Artic Circle”. O estudo para poema sinfônico “No Campo dos Sinos”, composição de Rodrigo Felicíssimo e de Elisa Bracher, sonorizado na sala, integra a obra.

Sobre a artista
Elisa Bracher (São Paulo, 1962), conhecida por suas grandes esculturas de madeira, espalhadas por vários espaços públicos, possui uma produção artística que permeia quatro meios distintos – desenho, gravura, escultura e fotografia – que não acontecem de maneira independente, estando interligados em sua poética. Sua formação em artes plásticas deu-se na Fundação Armando Álvares Penteado (1989), sendo complementada por um curso de gravura em metal com Evandro Carlos Jardim. Sua carreira despontou inicialmente no campo da gravura, meio pelo qual foi premiada em diferentes momentos. No inicio dos anos 1990 envereda também pelo campo da escultura e passa a experimentar a arte com diversos materiais, em especial a madeira. A artista toma partido da condição plástica dos materiais, o que comparece com a clareza em seu trabalho realizado em adobe (taipa de pilão). Em função do caráter monumental e ambiental de suas peças, possui um número considerável de trabalhos espalhados por espaços públicos e nas mais diversas instituições de arte.

Elisa Bracher, Sem título, 2014 / Divulgação

Elisa Bracher, Pulmão, 2015 / Divulgação

Elisa Bracher, Labirinto, 2015 / Divulgação

serviço
Exposição: "Luctus Lutum", de Elisa Bracher com curadoria de Elisa Byington.
Datas e horários: Abertura dia 22 de agosto, das 12h às 16h. Em exposição de 24 de agosto a 24 de outubro de 2015. De segunda a sexta, das 10h às 19h; sábado, das 12h às 16h.
Local: Galeria Raquel Arnaud | Rua Fidalga, 125 - Vila Madalena.
Entrada franca.

Imagem de capa: Elisa Bracher, Labirinto, 2015 [divulgação]