AGENDA DAS ARTES

Voltar

Lina Bo Bardi: Habitat

Artistas: Lina Bo Bardi

Curadoria: Tomás Toledo, Julieta González e José Esparza Chong Cuy

De 5/4 a 28/7

MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand Ver mapa

Endereço: Avenida Paulista, 1578

Telefone: 11 3251-5644

A célebre arquiteta italiana Lina Bo Bardi adotou o Brasil como sua nação, país esse que agora reverencia sua obra na exposição Lina Bo Bardi:Habitat que ocorre no MASP(Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand) de 5 de abril a 27 de julho.

Lina Bo Bardi, 1978 Foto Credito: Bob Wolfenson

Bo Bardi é responsável por projetos icônicos da cidade de São Paulo, como o próprio MASP, o Teatro Oficina , O MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo), o Sesc Pompeia, entre outras construções. Sua identidade arquitetônica se consagrou mundialmente, mas o que poucos sabem é que Bo Bardi era uma artista multifacetada que atuava em diversos campos da cultura e da educação.  Habitat busca explorar todas essas faces da arquiteta,“não se trata de uma exposição somente sobre o trabalho de Lina Bo Bardi como arquiteta, mas, sobretudo, de uma oportunidade de mostrá-la como uma pensadora que atuou tanto na arquitetura e no design quanto no campo editorial, na pedagogia, na crítica e na curadoria”, diz Tomás Toledo, curador-chefe do MASP.

A exposição é fruto de um trabalho em conjunto de Toledo, Julieta González,  e José Esparza Chong Cuy, e além da mostra será produzido um livro, que terá versões em português, espanhol e inglês -e a co-organização do Museo Jumex, na Cidade do México, e do Museum of Contemporary Art (MCA) de Chicago. Os museus receberão a exposição em janeiro e junho de 2020, respectivamente.

A organização adotada, tanto para a mostra quanto para o livro, foi uma divisão de três partes da carreira de Bo Bardi. O primeiro, “O Habitat de Lina Bo Bardi” reune 15 exemplares da revista Habitat, produzida em parceria com seu marido, o marchand e crítico italiano Pietro Maria Bardi, diretor-fundador do MASP. “Foi em Habitat que Lina, que trazia da Itália experiência em revistas, desenvolveu e desdobrou seus interesses. A revista falava de arte popular, de mobiliário, da educação como transformação social e política, e de sua visão de arte, não eurocêntrica ou estadunidense.", sintetiza o curador brasileiro.  Este primeiro capítulo, no entanto, não se restringe à revista, mas diz respeito também a adoção de um novo habitat de Bo Bardi e seu empenho em consolidar a arquitetura brasileira, influenciada pelo modernismo italiano. O casal chegou ao Brasil em 1946, fugindo de uma Europa pós-guerra, e adotou o país e se naturalizou de fato em 1951.

Reprodução: Revista 'Habitat', no 1, 1953

O segundo bloco da mostra chama-se “Repensando o museu” e  descreve o envolvimento de Bo Bardi com o MASP passando por toda a história do museu, desde sua antiga sede na 7 de abril, dos Diários Associados, grupo de mídia do empresário e mecenas Assis Chateaubriand, fundador da instituição, até seu consagrado prédio na avenida Paulista e sua vanguarsista pinacoteca com cavaletes de vidro. Além disso, o norte de Bo Bardi foi atribuir ao museu uma função social e criar o Instituto de Arte Contemporânea (IAC). Essa etapa também celebra suas grandes obras na Bahia, como o Teatro Castro Alves, o Museu de Arte
Moderna (MAM-BA) e o  Museu de Arte Popular do Solar do Unhão.


Vista da pinacoteca do MASP, com os cavaletes de vidro, 1968

Por fim, o terceiro capítulo,  “Da Casa de Vidro à Cabana” discorre sobre a Bo Bardi projetista, sua influências do modernismo italiano até se deixar permear pelo habitat e a cultura popular brasileira. Um de seus projetos icônicos é a Casa de Vidro, sua primeira obra construída e onde residiu até a morte. Contar a historia de Lina Bo Bardi é contar a história do patrimônio brasileiro, vale a pena conferir!
Serviço
Lina Bo Bardi:Habitat
De 5 de abril a 23 de junho de 2019. De quarta a domingo das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); As terças-feiras das
10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Local: 1º subsolo do MASP(Museu de Arte de São Paulo)| Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP
Ingressos: R$ 40 (entrada); R$ 20 (meia-entrada)
O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo.
AMIGO MASP tem acesso ilimitado e sem filas todos os dias em que o museu está aberto.
O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$ 20 (meia-entrada).
Menores de 11 anos de idade não pagam ingresso.