AGENDA DAS ARTES

Voltar

Ismael Nery

Artistas: Ismael Nery

Curadoria: Ricardo Camargo

De 21/9 a 18/11

Ricardo Camargo Galeria Ver mapa

Endereço: Rua Frei Galvão, 121 - Jardim Paulistano

Telefone: (11) 3031-3879

Em comemoração a seus 22 anos, a Ricardo Camargo Galeria apresenta duas exposições icônicas que trazem ao público uma seleção de obras da arte sobre papel dos mais clássicos modernistas brasileiros. A primeira delas, "Ismael Nery", recebe atenção especial e ocupa uma sala anexa do espaço. Já a mostra "Recorte Modernista" apresenta obras de figuras como Di Cavalcanti, Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Candido Portinari e Antonio Gomide.

As exposições, realizadas em parceria com a galeria Almeida e Dale, ficam em cartaz no espaço entre 22 de setembro e 18 de novembro. Juntas, elas reúnem desenhos das mais variadas técnicas sobre papel, de 14 artistas essenciais para o modernismo brasileiro. São trabalhos ímpares, que imprimem as trajetórias estéticas de seus autores, mas que dificilmente são tão conhecidos quanto suas telas mais famosas.

Modernista, Ismael Nery nadou contra a corrente dos acadêmicos e artistas de sua época. Em sua obra, nunca procurou elucidar o Brasil. Também não buscou o social ou o belo, tal como seus pares, tampouco pregou uma ruptura drástica com o passado. Místico e católico quando a intelectualidade defendia o ateísmo, Nery construiu um vocabulário plástico universal, atemporal e supranacional, com influências de várias tendências, de um expressionismo contido ao surrealismo, passando pelo cubismo. 


Ismael Nery- Os Saltimbancos, c. 1925. Aquarela s papel, 20 x 14 cm.

Nery tinha necessidade de se comunicar por meio de seu trabalho, por mais intimista ou até introspectivo que fosse. Seu intenso lirismo e sua elegância espiritual não lhe permitiam tornar-se iconoclasta a ponto de fazer arte de difícil entendimento. Foi um homem que contagiou muitos que o conheceram, mas que viveu, desenhou e pintou com sofrimento - reflexo das marcas deixadas pelas mortes precoces de seu pai e irmão caçula e pela loucura de sua mãe.

A figura humana em sua universalidade é tema fundamental em sua produção, tomada em abundância pela questão do duplo, seja sob a forma de um casal - vivia com a poeta Adalgisa Nery, uma das grandes inspirações de sua obra -, seja pela divisão de um corpo único ou mesmo por um corpo acompanhado de sua sombra e seus fantasmas. 


Ismael Nery- Pose, c. 1925. Aquarela s cartão, 16 x 8,5 cm.

Nascido em 1900, em Belém do Pará, Ismael Nery mudou-se ainda criança para o Rio de Janeiro. Aos 15 anos, ingressou na Escola Nacional de Belas Artes e, no início dos anos 1920, realizou sua primeira viagem à Europa para estudar na Academia Julian, de Paris. Este período marcou o início da primeira fase de sua produção artística, de caráter essencialmente expressionista. O presente (1923), Vamp (1924) e Guerreiro (1924) são trabalhos dessa época.

Aos poucos, sua produção ganhou influências cubistas, a exemplo de Os Saltimbancos (c.1925) e Quase santo (1927), cujos personagens adotam formas cilíndricas e ovais. Homens e mulheres dão a impressão de formas ideais, fora do tempo e do espaço. 


Ismael Nery- Aconchego, c. 1925. Aquarela s cartão, 17 x 16 cm baixa.

Aos 29 anos, descobriu-se tuberculoso, condição que sua obra passou a refletir. O surrealismo ganhou força em sua produção. Desse período, a mostra apresenta Visão submersa (1933), A mão predatória II (1933) eTransfusão (c. 1929).

"Torna-se, então, mais surrealista, daquele tipo de surrealismo que arrebenta a figura humana. Não se trata mais de fantasias oníricas um pouco à la Chagall, nem de erotismos suaves. O desfazimento do corpo do autor se metaforiza em imagens viscerais", afirma o crítico Olívio Tavares de Araújo, que assina o texto de apresentação do catálogo da mostra.

Serviço:
Exposição Ismael Nery (individual). 25 obras sobre papel, de 1923 a 1933
Data e Horário: 21 de setembro, das 19h às 23h (restrito para convidados)
Em cartaz: até 18 de novembro de 2017
Horário de funcionamento: De segunda à sexta-feira, das 10h às 19h; sábado, das 10 às 15h
Local: Ricardo Camargo Galeria- Rua Frei Galvão, 121 - Jardim Paulistano
Entrada livre e gratuita.