AGENDA DAS ARTES

Voltar

Instalação Trabalho

Artistas: Thiago Honório

Curadoria: Fernando Oliva

De 11/8 a 29/1

MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand Ver mapa

Endereço: Avenida Paulista, 1578

Telefone: 11 3251-5644

A instalação reúne, no 1º subsolo do museu, ferramentas de trabalhadores utilizadas durante o restauro de um prédio histórico no centro de São Paulo

O MASP apresenta, a partir de 11.8, a instalação Trabalho, do artista Thiago Honório (Carmo do Paranaíba, MG, 1979), que ocupa o mezanino do 1º subsolo do museu.  A instalação integra o acervo do MASP e reúne uma coleção de ferramentas que pertenceram a mestres de obras e pedreiros envolvidos no restauro de uma antiga subestação de energia do centro de São Paulo, um edifício ​da década de 1920, recentemente restaurado​. A partir de conversas e negociações com os trabalhadores, durante uma residência artística, Honório propôs a troca das ferramentas, entregando a eles instrumentos novos. Parte delas também foi doada espontaneamente pelos trabalhadores. Algumas, inclusive, foram construídas pelos próprios pedreiros, a partir do conhecimento adquirido em anos de trabalho, por meio de suas vivências. É o caso da “gambiarra”, espécie de luminária usada para verificar a qualidade da pintura nas paredes.

Entre as ferramentas expostas na instalação estão pás, talhadeiras, escadas, picaretas, enxadas, marretas, desempoladeiras, serrotes, rolos, pincéis e espátulas, entre outras. Elas conferem à instalação uma aparência áspera e fria, em contraste com a percepção tradicional de “obras de arte” e de “belas artes”, porém alinhada às próprias características da arquitetura brutalista – com estruturas expostas e sem acabamentos luxuosos – do prédio do MASP.


Thiago Honório, Trabalho, 2013/2016 . Foto Edouard Fraipont 

Segundo Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, e o curador Fernando Oliva, que assinam juntos o texto da exposição, a presença do trabalho de Thiago Honório vai ao encontro de preocupações atuais do programa do museu, no que se refere à revisão crítica não só de artistas, mas também de técnicas e modos de produção que foram deixados de lado, eclipsados pelas narrativas hegemônicas da história da arte, frequentemente por não estarem associadas aos modos, gostos, ofícios e estilos das classes dominantes. “Estas questões estão claramente presentes na reencenação de A mão do povo brasileiro — a histórica exposição de Lina Bo Bardi de 1969, que ocupará o primeiro andar do museu a partir de 1.9. No lugar de arte ou artefato, Lina propunha justamente a noção de trabalho para dar conta tanto de uma pintura de Candido Portinari, quanto de uma ferramenta, ambas, afinal, produtos de um trabalho humano, daí a pertinência desseTrabalho neste momento, no museu”, escrevem eles.

Essa é a terceira configuração inédita da mostra. As duas configurações anteriores, em 2013 e 2014, o artista articulou à medida em que negociava as trocas dos instrumentos, bem como recebia doações espontâneas, assim determinando os tipos e a quantidade de ferramentas que formariam cada conjunto. A configuração exibida no MASP inclui aqueles objetos que se aproximam do vocabulário de pintura e de acabamento, relacionados a noções de restauro, reforma ou, ainda, construção civil. 

A exposição tem curadoria de Fernando Oliva, da equipe do MASP.

 

Serviço
Exposição:TRABALHO - THIAGO HONÓRIO
Abertura: 11 de agosto, 20h
12 de agosto de 2016 a 29 de janeiro de 2017
Local: Mezanino do 1º subsolo

Endereço: Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP
Horários: terça a domingo: das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira: das 10h às 20h (bilheteria até 19h30)
Ingressos: R$25,00 (entrada); R$12,00 (meia-entrada)
O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo. 
AMIGO MASP tem acesso ilimitado e sem filas todos os dias em que o museu está aberto. 
O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita.
Estudantes, professores e maiores de 60 anos pagam R$12,00 (meia-entrada).
Menores de 10 anos de idade não pagam ingresso.
O MASP aceita todos os cartões de crédito. 
 
Estacionamento: Convênios para visitante MASP, período de até 3h. É preciso carimbar o ticket do estacionamento na bilheteria ou recepção do museu.
CAR PARK (Alameda Casa Branca, 41)
Segunda a sexta-feira, 6h-23h: R$ 14,00
Sábado, domingo e feriado, 8h-20h: R$ 13,00
PROGRESS PARK (Avenida Paulista, 1636)
Segunda a sexta-feira, 7h-23h: R$ 20,00
Sábado, domingo e feriado, 7h-18h: R$ 20,00
 
Acessível a deficientes físicos, ar condicionado, classificação livre.