AGENDA DAS ARTES

Voltar

Histórias da sexualidade

Artistas: Vários

Curadoria: Adriano Pedrosa, Camila Bechelany, Lilia Schwarcz e Pablo León de la Barra.

De 20/10 a 14/2

MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand Ver mapa

Endereço: Avenida Paulista, 1578

Telefone: 11 3251-5644

Desde 2015, o MASP planeja um programa dedicado às questões de sexualidade e gênero, cujas exposições e atividades têm acontecido ao longo de todo o ano de 2017. O ciclo teve início em abril, com a exposição "Quem tem medo de Teresinha Soares?"; seguida por "Wanda Pimentel: envolvimentos", aberta em maio; "Toulouse-Lautrec em vermelho", "Miguel Rio Branco: nada levarei qundo morrer" e "Tracey Moffatt: montagens", em junho; "Pedro Correia de Araújo: erótica", em agosto, e "Guerrilla Girls: gráfica, 1985-2017", em setembro. Juntamente com "Tunga: o corpo em obras", prevista para dezembro, essas exposições monográficas de artistas brasileiros e internacionais reúnem trabalhos que suscitam questionamentos sobre corporalidade, desejo, erotismo, feminismo, questões de gênero, entre outros temas que se congregam, entre 20 de outubro e 14 de fevereiro de 2018, na mostra coletiva "Histórias da sexualidade".

Eisen, New Years Day [Dia de Ano Novo], 1835. Xilogravura sobre papel. Crédito: Ronin Gallery / NY, NY

"Histórias da sexualidade" pretende discutir as temáticas acima a partir de uma noção ampla do termo “histórias”, cujos sentidos, múltiplos e diversos, abrangem relatos coletivos e pessoais, ficcionais e não-ficcionais. A mostra, assim, compreende representações de diferentes períodos, territórios e suportes, colocando-as em fricção e diálogo, e desenvolvendo uma abordagem que desafia as fronteiras e hierarquias entre os objetos, suas origens, categorias e tipologias. Devido a algumas obras apresentarem conteúdo contendo violência, sexo explícito e linguagem imprópria, a exposição terá classificação indicativa de 18 anos, seguindo a orientação do manual do Ministério da Justiça.

Victor Meirelles, Moema, 1866. Óleo sobre tela [Oil on canvas], 130 x 196,5 cm. Acervo MASP [Collection]. Doação[Gift] Indústrias Químicas e Farmacêuticas Schering S.A., 1949. Crédito: Alexandre Cruz Leão

A exposição apresenta mais de 300 obras e cerca de 130 artistas, tanto do acervo do MASP, quanto de coleções brasileiras e internacionais, incluindo desenhos, pinturas, esculturas, filmes, vídeos e fotografias, além de documentos e publicações, de arte pré-colombiana, asiática, africana, europeia, latino-americana, entre outras. A mostra divide-se em nove núcleos temáticos e ocupa três espaços expositivos do Museu: o primeiro andar, onde se concentra o maior número de obras, distribuídas pela sala em oito desses núcleos: Corpos nus, Totemismos, Religiosidades, Performatividades de gênero, Jogos sexuais, Mercados sexuais, Linguagens e Voyeurismos; a galeria do primeiro subsolo, com o núcleo Políticas do corpo e ativismos; e a sala de vídeo, que compõe também o núcleo Voyeurismos.

Miguel Angel Rojas, David, 2005. Courtesy of the artist and Sicardi Gallery. Crédito: Miguel Ángel Rojas

Histórias da sexualidade: filmes & vídeos
O programa Histórias da sexualidade: filmes & vídeos, em parceria com a Associação Cultural Videobrasil e a Cinemateca Brasileira, apresenta 34 obras distribuídas em 14 sessões.

As cinco primeiras sessões utilizam parte do acervo da Cinemateca Brasileira e incluem filmes de diferentes décadas, como O olho mágico do amor, uma das obras mais ousadas e experimentais da Boca do Lixo - importante movimento do cinema independente brasileiro -, ou a produção atual de jovens diretores, como Nova Dubai de Gustavo Vinagre. Há ainda a atuação pioneira de diretoras como Helena Solberg e Ana Carolina, em cujos trabalhos questões sobre sexualidade são mediadas e figuram a partir do ponto de vista feminino.

Na segunda parte da programação, são exibidos alguns filmes e vídeos que possuem ligação direta com a exposição, como a sessão dedicada à trilogia Nefandus, de Carlos Motta, artista que participa com outro trabalho na mostra, ou o documentário Lampião da esquina que aborda a produção do jornal gay brasileiro, intitulado com o mesmo nome, que circulou durante os anos de 1978 e 1981.

Algumas sessões contam com a presença e mediação dos realizadores, antes ou depois da exibição de suas produções. Participam deste ciclo Luiz Roque, Virgínia de Medeiros, Gisela Domschke e Lívia Perez com João Silvério Trevisan.

As duas últimas sessões do ciclo exibem vídeos do acervo histórico da Associação Cultural Videobrasil. Uma deles apresenta um recorte da produção do artista libanês Akraam Zaatari. A classificação etária de cada filme pode ser conferida em masp.org.br.

Nicolas Poussin, Himeneus travestido assistindo a uma dança em honra a Príapo [Transvested Hymenaeus Watching a Dance in Honor of Priapus], 1634-38. Óleo sobre tela [Oil on canvas], 166,5 x 373 cm. Acervo MASP [Collection]. Compra [Purchase], 1958. Crédito: Alexandre Cruz Leão.

Serviço
Exposição: "Histórias da sexualidade", com curadoria de Adriano Pedrosa, Camila Bechelany, Lilia Schwarcz e Pablo León de la Barra.
Datas e horários: De 20 de outubro de 2017 a 14 de fevereiro de 2018. De terça a domingo, das 10h às 18h (bilheteria aberta até as 17h30); quinta-feira, das 10h às 20h (bilheteria até 19h30).
Local: MASP (1º andar, 1º subsolo e sala de vídeo) | Avenida Paulista, 1578 - São Paulo, SP.
Ingressos: R$30,00 (entrada); R$15,00 (meia-entrada para estudantes, professores e maiores de 60 anos); menores de 10 anos de idade não pagam ingresso. O MASP tem entrada gratuita às terças-feiras, durante o dia todo. O ingresso dá direito a visitar todas as exposições em cartaz no dia da visita. O MASP aceita todos os cartões de crédito.
Acessível a deficientes físicos, ar condicionado, classificação 18 anos.
Sessões do "Histórias da sexualidade: filmes & vídeos": Sessões gratuitas aos sábados e terças-feiras, 16h. Todos os filmes serão exibidos em projeção digital.