AGENDA DAS ARTES

Voltar

História da Poesia Visual Brasileira

Artistas: Vários

Curadoria: Adolfo Montejo Navas

De 30/5 a 8/7.

SESC Bom Retiro Ver mapa

Endereço: Alameda Nothmann, 185 - Bom Retiro

Telefone: (11) 3332-3600

O Sesc Bom Retiro apresenta “História  da Poesia Visual Brasileira” que fica em cartaz de de 30 de maio a 8 de setembro. A mostra reúne cerca de 213 obras que fazem parte do acervo de Paulo Brusck, os trabalhos transbordam os limites das palavras e flertam com diversas linguagens.


Augusto de Campos e Julio Plaza - Caixa Preta (1975). Créditos: Reproducao(Arquivo Paulo Bruscky.

“História da Poesia Visual Brasileira” apresenta um recorte de artistas e movimentos, mas é dedicada a duas figuras protagonistas do experimentalismo nas Artes Visuais: Vicente do Rego Monteiro, artista e poeta pernambucano de grande importância na Poesia Visual e Experimental, e Wlademir Dias-Pino, poeta, artista visual e gráfico que integrou o grupo Poema/processo no Rio de Janeiro, e faleceu em 2018. Outros artistas homenageados são Falves Silva, Neide Sá, Pedro Xisto e Edgard Braga.

A exposição propõe apresentar um panorama vanguarda brasileira, e conta com trabalhos que pautam estéticas radicais e o cruzamento entre as diversas linguagens e suportes tecnológicos.


Neide Sa - Livro-poema (sobreposicao de cores) . Créditos:Reproducao(Arquivo Paulo Bruscky)

Adolfo Montejo Navas, curador da exposição, falou sobre as obras apresentadas: “É um acervo bem abrangente da história da poesia visual no Brasil, um leque que contempla diversas formas em que esse tipo de arte é representada, traz obras de artistas renomados e alternativos, de várias localizações do país e, consequentemente, de movimentos que foram referência no sentido de buscar diferentes significações ao com combinar textos, imagens.” Para Navas, a mostra é uma iluminação para qualquer momento em que estamos vivendo, uma luta contra o analfabetismo visual.

Todos os materiais e obras presentes fazem parte do arquivo do artista multimídia pernambucano Paulo Bruscky. A coleção de Bruscky se consolidou como o maior acervo de arte e multimeios da América Latina, o artista é uma referência internacional para pesquisadores e interessados em arte contemporânea. Sua coletânea hoje pertence ao Instituto Paulo Bruscky.


Paulo Bruscky e Unhandeijara Lisboa - Poesia Viva (1977). Créditos: Reproducao(Arquivo Paulo Bruscky)

O acervo é fruto de cerca de cinco décadas de pesquisa, e contém aproximadamente 70 mil itens, de aproximadamente 1.000 artistas de 52 países, abrangendo as mais importantes vanguardas do século XX, como futurismo, dadaísmo, pop art, grupos Cobra, Gutai e Fluxus, arte conceitual, vídeo arte, arte correio, áudio arte e poesia experimental.

O Instituto participou da 26ª Bienal de São Paulo, e foi remontando integralmente no pavilhão expositivo. Além disso, ja cedeu, por empréstimo, obras para instituições como MAC/USP, Casa França-Brasil, Instituto Tomie Ohtake, Bienal do Mercosul e Centro Georges Pompidou.

Serviço
História da Poesia Visual Brasileira
Datas e Horários: De 30/5 a 8/7. De terça a sexta, das 9h às 21h; sábados, das 10h às 21h; domingos e feriados, das 10h às 18h.
Local: Sesc Bom Retiro | Al. Nothmann, 185 – Campos Elíseos
Entrada livre e gratuita