AGENDA DAS ARTES

Voltar

Cícero Alves dos Santos - Véio

Artistas: Cícero Alves dos Santos

Curadoria: Germana Monte-Mór

De 3/10 a 13/12

SESC Santo Amaro Ver mapa

Endereço: Rua Amador Bueno, 505 - Santo Amaro

Telefone: (11) 5541-4000

O Sesc Santo Amaro apresenta, de 3 de outubro a 13 de dezembro de 2015, exposição do artista sergipano Cícero Alves dos Santos, mais conhecido como Véio. A mostra do artista, que participou da 56ª Bienal de Veneza nesse ano, conta com curadoria de Germana Monte-Mór e será realizada no ‘Espaço das Artes’, com entrada livre e gratuita para todos os públicos.

A mostra reúne 28 obras, de grande e pequeno porte do artista. “O que confere potência ao seu trabalho não é apenas a variedade de tamanho das suas peças, da qual ele consegue tirar partido. Pequenas figuras como as da série dos Exus têm a mesma grandeza de uma escultura de 135 cm como A esplanada”, afirma a curadora. “Minha escolha foi apontar os diferentes caminhos que o artista opta para revelar os limites da vida com a sua poética, o seu pequeno mundo que, pela pujança, o torna tão grande”, acrescenta Monte-Mór.

O evento faz parte do projeto “DESDOBRAMENTOS – Acervo em Expansão”, do Sesc Santo Amaro, que tem como ponto de partida as condições arquitetônicas da unidade e a relação de transparência, transbordamento e interferência que o arquiteto Edson Elito apresenta, destacando as obras contidas no acervo fixo da unidade. A primeira exposição deste projeto foi "Lavadeirinha", de Efrain Almeida, em cartaz de abril a julho de 2015.

Galhos e raízes do sertão: a matéria prima do Véio
Os galhos e raízes dispostos pelo sertão sergipano ganham vida nas mãos de Véio. Nascido e criado em Nossa Senhora da Glória, no Sergipe, o artista recebeu esse apelido porque gostava muito de andar entre as pessoas mais velhas. Autodidata, admirava a cultura popular desde criança, quando começou a executar suas primeiras peças em cera de abelha.

Da cera para a madeira, material no qual se especializou, Véio tornou-se habilidoso, traçando duas vertentes principais de trabalho. Na primeira, o artista trabalha com o que chama de troncos abertos, pedaços de vegetação que encontra pela região árida em que vive, e nos quais ele faz poucas e precisas intervenções artísticas. Nesse meio, Véio retira da natureza seu caráter mais expressivo, com cores intensas e cortes específicos que delineiam a forma de animais, homens e outras figuras.

Na segunda, Cícero Alves dos Santos apresenta cuidado minucioso ao esculpir o que nomeia de troncos fechados. Aqui o exercício de composição da obra não aproveita suas formas naturais, mas extrai dela o que o artista planeja ver. Possui peças em diversas dimensões, variando entre um milímetro e 12 metros de altura.

Artista sergipano na Bienal de Veneza e em acervos do mundo
Em sua participação na 56ª Bienal de Veneza o artista exibiu mais de 100 de suas criações na Abadia de São Gregório, dentro da série de eventos mundiais "Becoming Marni". Ele possui obras no acervo da Fondation Cartier Pour Lárt Contemporain, em Paris – França, e no Pavilhão das Culturas Brasileiras e Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Véio mora em um sítio, na mesma cidade em que nasceu. Nele, mantém o que chama de “Museu do Sertão”, espaço onde reúne objetos, utensílios e documentos da sua cidade a fim de preservar a memória do local. Além de objetos, há peças esculpidas pelo artista, como a maquete de sua cidade.

Véio, Exus / Foto: João Liberato

Acaninãna (320 x 14 x 54 cm) / Foto: Germana Monte-Mor

Véio, O Primata (127 x 100 x 93 cm) / Foto: João Liberato

Véio, A Inveja (7,5 x 26 x 10,5 cm) / Foto: Germana Monte-Mor

Véio, Cabeção (84 x 39 x 63 cm) / Foto: João Liberato

Véio, Boca torta (56 x 28 x 23 cm) / Foto: Germana Monte-Mor

Véio, Os gêmeos (85 x 72 x 124 cm) / Foto: Germana Monte-Mor

serviço
Exposição: "Cícero Alves dos Santos – Véio".
Datas e horários: De 3 de outubro a 13 de dezembro de 2015. De terça a sexta, das 11h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h.
Local: Espaço das Artes, no Sesc Santo Amaro | Rua Amador Bueno, 505 - Santo Amaro.
Entrada gratuita.