AGENDA DAS ARTES

Voltar

À Nordeste

Artistas: Vários

Curadoria: Bitu Cassundé, Clarissa Diniz e Marcelo Campos

16/5 a 25/8

Sesc 24 de Maio Ver mapa

Endereço: Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo- SP

Telefone: (11) 3350-6300

O artista cearense Yuri Firmeza lançou o questionamento “À Nordeste de que?”, a provocação foi o pontapé inicial para a criação da exposição coletiva “À Nordeste” que fica em cartaz no Sesc 24 de Maio de 15 de maio a 25 de agosto.

Manto da Apresentação. Bispo do Rosário Crédito: Divulgação

A exposição tem curadoria de Bitu Cassundé, Clarissa Diniz e Marcelo Campos, reúne 275 obras, que variam em suas linguagens e suportes,  desde o barro até aos memes. São trabalhos de 160 artistas - em sua maioria nordestinos. A proposta dos curadores não é a de trazer uma identidade nordestina, mas sim de retratar o que significa estar à Nordeste a partir de trabalhos heterogêneos e diversos. É apresentar contradições, jogos políticos e estéticos, enfim, trazer um quadro complexo e repleto de possibilidades de acepções.

Meninos do Recife, 1962, de Abelardo da Hora. Nanquim sobre papel, 45 x 32 cm. Crédito: Acervo MAMAM

A mostra é fruto de expedições realizadas pelos curadores nas 9 capitais do nordeste, e algumas cidades do interior que também eram relevantes, durante agosto de 2018 e janeiro de 2019. A partir das viagens foi possível conhecer novos artistas e projetos para moldar a curadoria da exposição.

“Iniciamos essas viagens e visitas a campo no segundo semestre do último ano, em pleno processo eleitoral. Neste período, o Nordeste vivenciou um momento um tanto quanto singular, revigorante, de contraposição a uma ideia de Brasil que acabou prevalecendo naquele contexto”, observa Diniz. Bitu Cassundé completa que conhecer essa região a fundo proporcionou uma compreensão de um Brasil em transformação, a partir de um Nordeste de muitas lutas, mobilizações, e reivindicações em torno de suas demandas.


Tessi Sodokpa - Cotonou, de Marcio Vasconcelos. Crédito: Divulgação

Entre os artistas que fazem parte da exposição estão Abraham Palatinik, Almandrade, Antônio Bandeira, Ayrson Heráclito, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, Bispo do Rosário, Cristiano Lenhardt, Gilberto Freyre, Glauber Rocha, Jean-Pierre Chabloz, Jonathas de Andrade, Juliana Notari, Leonilson, Marepe, Mestre Vitalino, Romero Britto, o coletivo Saquinho de Lixo, Pêdra Costa, Tadeu dos Bonecos, Véio, Zahy Guajajara e muitos outros.

Frames da videoperformance (vídeo projeção em três telas), 2014. de Juliana Notari. Crédito: Divulgação

Marcelo Campos observa que a mostra traz a justaposição de artistas renomados e inseridos no circuito da arte contemporânea e criadores culturais que nem sequer são considerados nesse campo. “Não hierarquizamos aqui as diversas formas de produção de cultura, como outrora se fez entre “cultura erudita”e“cultura de massa”. Esse conjunto cumpre um desejo que é dizer o que é a região hoje e quais são as questões ali em voga. A exposição é muito mais sobre a presença de uma produção do agora e sua potência criativa”, completa o curador.

De modo a facilitar a compreensão do espectador sobre a mostra, que devido à sua magnitude assemelha-se a uma bienal, os curadores organizaram as obras em alguns núcleos: Futuro, Insurgência,(De)colonialidade, Trabalho, Natureza, Cidade, Desejo e Linguagem.

Serviço
À Nordeste
Datas e Horários: Abertura 15 de maio de 2019, 20h. Exibição De 16 de maio a 25 de agosto. De terça a sábado, das 9h às 21h, domingos e feriados, das 9h às 18h
Local: Sesc 24 de Maio |Rua 24 de Maio, 109, República
Classificação indicativa: + 14.
Agendamento de grupos: agendamento@24demaio.sescsp.org.br