AGENDA DAS ARTES

Voltar

A linha como direção

Artistas: Vários

Curadoria: Núcleo de Pesquisa e Curadoria do museu

De 15/6 a 3/2 de 2020

Estação Pinacoteca Ver mapa

Endereço: Largo General Osório, 66 - Santa Efigênia

Telefone: (11) 3324-1000

A Pinacoteca de São Paulo apresenta “A linha como direção” que ocupa o segundo andar da Pina Estação e fica em cartaz de 15 de junho de 2019 a 3 de fevereiro de 2020.

A mostra tem curadoria do Núcleo de Pesquisa e Curadoria do museu e apresenta 12 esculturas e relevos que fazem parte do acervo da instituição. O que as une é a presença do elemento geométrico da linha como fio condutor das obras, além da influência de elementos do construtivismo no início do século XX nos trabalhos.

 
Sérgio Sister. Caixa 225B, 2013. Óleo sobre madeira. 37.5 x 24.9 x 8.6 cm. Foto: Isabella Matheus / Pinacoteca

O título da mostra é fruto do paradigma do Manifesto Realista, criado em 1920, que propõe “a linha como direção”. Para os artistas que faziam parte do movimento, as linhas compõem uma pontuação das forças e dos ritmos escondidos nos objetos. Eles rejeitavam “o volume como forma plástica do espaço” e “a massa como elemento escultórico”.

O trilho, a viga, o arco eram inspirações para o grupo devido à capacidade desses objetos de aguentar cargas e tensões sem utilizar grandes quantidades de material, a maneira como o espaço poderia ser ocupado e os eventuais vazios gerados despertavam sua curiosidade. Seu desejo era promover através das esculturas leveza, a transparência, os ritmos cinéticos, o movimento e o dinamismo.

Iole de Freitas. Sem título, década de 1990. Arame de metal, fio de cobre, malha de metal e plástico. 120,5 x 56,5 x 36,5 cm. Coleção Roger Wright, em Comodato com a Pinacoteca do Estado de São Paulo. Foto: Isabella Matheus / Pinacoteca

Esses são os princípios que guiam Bené Fonteles (Bragança, PA, 1953), Erika Verzutti (São Paulo, SP, 1971), Iole de Freitas (Belo Horizonte, MG, 1945), Joaquim Tenreiro (Beira Alta, Portugal, 1906 - Itapira, São Paulo, SP, 1992), León Ferrari (Buenos Aires, Argentina, 1920 - 2013), Luiz Hermano (Preaoca, CE, 1957), Macaparana (Macaparana, PE, 1952), Mari Yoshimoto (Santa Rosa do Viterbo, SP,1931 – São Paulo, SP, 1992), Sérvulo Esmeraldo (Crato, 1929 - Fortaleza, CE, 2017), Willys de Castro (Uberlândia, MG, 1926 - São Paulo, SP, 1988) e Sérgio Sister (São Paulo, SP, 1948), artistas que apresentam trabalhos na mostra.

Serviço
A linha como direção
Datas e Horários: De 15/6 a 3/2 de 2020. De quarta a segunda, das 10h às 17h30 (com permanência até as 18h).
Local: Pina Estação | Largo General Osório, 66 – Luz, São Paulo.
A entrada é livre para todas as idades. A Pina Estação é gratuita todos os dias.